O Mito da Caverna Barbarense

Rodchenko, ícone da vanguarda russa revolucionária (1920)
Viviam os barbarenses em uma caverna. Eles buscavam a luz e o desenvolvimento. Primeiro veio um romano, que achava ter encontrado o caminho, começou a andar, mas parou no meio do caminho. Seu herdeiro não conseguiu liderar o povo.

Depois veio um homem de colchões e ajudou a vila bárbara. Todos acreditaram nele, pediram sua volta e ele encaminhou o povo. Os homens de olhos puxados tiraram dele a possibilidade de ir mais rápido. Seu entorno não conseguiu fazer com que ele retornasse a liderar o povo.
O homem dos colchões foi derrotado por um novo líder, um cirurgião. Esse tinha uma turma muito confusa, com filósofos vermelhos e pseudo-geniais. O cirurgião brigou com seu filósofo vermelho, que usurpou-lhe o poder. Os tresloucados ficaram com o filósofo vermelho. Ao final, todos se deram mal.
Enfim apareceu o homem inteligente, da propaganda, que parecia ser capaz de resolver tudo. Mas este fazia igual o filósofo vermelho- contemplava a luz que entrava e esperava que naturalmente todos saíram da caverna.
Parece que a caverna barbarense segue na mesma, sentindo falta de um verdadeiro filósofo, que seja capaz de liderar seu povo para fora do escuro.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE