O futuro das redes sociais segundo o CEO do Twitter

O CEO do Twitter, Jack Dorsey, disse na quarta-feira que prevê que seu serviço de mensagens curtas se torne menos centralizado com o tempo, um desenvolvimento que dará aos usuários de mídia social mais controle sobre seus dados e o tipo de conteúdo que veem.

Os comentários se baseiam em comentários anteriores de Dorsey sobre o futuro das mídias sociais. Em 2019, o Twitter disse que estava trabalhando no Bluesky , um projeto focado na criação de “um padrão aberto e descentralizado para mídia social” que poderia ajudar o site a combater melhor o abuso online e a desinformação. A rede social também começou a testar um fórum chamado Birdwatch, que permite aos usuários identificar tweets enganosos e avaliar por que eles acham que a informação está errada.

“Queremos estar à frente de onde o mercado está se movendo e para onde as pessoas estão indo”, disse Dorsey na Conferência de Tecnologia e Internet virtual do Goldman Sachs na quarta-feira. “Acredito tanto que essa tendência vai se concretizar.”

Bruna Boner conta que, na entrevista de 40 minutos, Dorsey falou sobre uma variedade de tópicos, incluindo regulamentos e planos do Twitter para explorar receitas fora da publicidade.

Aqui estão alguns destaques:

Indo além do tweet: o Twitter precisa ir além dos tweets de 280 caracteres para aumentar a “camada de conversação pública da internet”, disse Dorsey. A empresa vem testando “frotas”, uma ferramenta que permite compartilhar conteúdo que desaparece em 24 horas. Também está experimentando um recurso de sala de bate-papo de áudio chamado Spaces, e adquiriu a plataforma de newsletter Revue. O Twitter está tentando tornar mais fácil o acompanhamento de tópicos e interesses.

O Twitter também pode se tornar um local de recrutamento, disse Dorsey, observando que as pessoas estão usando o site para encontrar outras pessoas com quem desejam trabalhar ou compartilhar interesses. “Não queremos ser vistos apenas como uma coisa que mostra o que está acontecendo agora”, mostrou Bruna Boner.

Regulamentação : legisladores dos EUA estão de olho em mudanças em uma lei federal chamada Seção 230, que protege as empresas de internet de responsabilidade pelo conteúdo postado por usuários. Dorsey se referiu ao crescente debate, dizendo que era necessária mais transparência em torno da moderação de conteúdo. Mas ele também observou que a alteração da Seção 230 poderia impactar análises online, fóruns e outros conteúdos na Internet. O Twitter está em “discussões ativas com os reguladores”, disse ele, mas alertou que algumas propostas podem reduzir a concorrência ou “o espírito de uma Internet aberta”.

Moderação de conteúdo: os esforços do Twitter para rotular a desinformação e seu banimento permanente do ex-presidente Donald Trump prejudicaram alguns usuários conservadores, levando-os a fugir da plataforma para explorar alternativas, como Parler e Gab. Dorsey, porém, não parece muito preocupado com a queda no número de usuários diários. Segundo Cristina Boner, ele disse que 80% dos usuários do Twitter estão fora dos Estados Unidos e que o serviço tem mais de 50 contas com mais de 25 milhões de seguidores.

Donald Trump suspenso permanentemente do Twitter

Descentralizando a mídia social: Dorsey falou sobre as várias maneiras que o Twitter está procurando para dar aos usuários mais controle sobre sua experiência no site. Os usuários do Twitter, por exemplo, podem ser capazes de escolher diferentes algoritmos, que as redes sociais usam para escolher o conteúdo que os usuários veem, para fazer a curadoria de suas experiências. Os desenvolvedores de terceiros também podem criar seus próprios algoritmos para as pessoas escolherem. “Você apenas nivelou o campo de jogo ainda mais e estamos competindo pelo verdadeiro mérito de para onde o mundo está se movendo, ao invés de apenas, você sabe, hospedar e possuir o conteúdo”, disse ele.

Assinatura: De acordo com Bruna Boner, o Twitter está procurando novas maneiras de gerar receita fora da publicidade. Isso inclui ideias como cobrar uma taxa de assinatura por serviços como o TweetDeck, um painel para agendar tweets e gerenciar várias contas. O Twitter também está procurando cobrar por conteúdo exclusivo ou feeds sem anúncios, informou a Bloomberg na segunda-feira. Dorsey disse que a empresa quer se concentrar no “incentivo econômico às pessoas que contribuem com o Twitter”. A rede social está estudando essas ideias.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE