O ‘coringa’ das artes: de Sumaré para o Brasil

Ele mora no Jardim dos Ipês, nas horas vagas constrói a própria casa, é escultor e cenógrafo, mas pode ser chamado de o ???coringa??? das artes. Esse é Samuel Antero, 33 anos. Em seu currículo muitas e muitas obras: de escultura em portais a participação em cinema e televisão. De Sumaré para o Brasil, suas obras podem ser vistas em vários lugares, como o portal de Paulínia. Ele fez o cavalo e os 34 soldados, tudo em resina, fibra e isopor. Fez oito beija-flores para condomínios na região. Atualmente, desenvolve a parte de cenografia do Pico das Cabras, no Distrito de Joaquim Egídio (Campinas). ???Além da lua, dentro da cúpula está o Planetário. No interior de Saturno, por exemplo, tem uma réplica do sistema solar. E na cúpula de Júpiter está o telescópio. A primeira etapa está pronta e em funcionamento???, diz.
O Pico das Cabras fica num morro a 1.080 metros de altitude e é parte integrante do Museu Aberto de Astronomia, cujo objetivo é fomentar o conhecimento e desenvolvimento humano. No local, entre as esculturas de Samuel Antero, destacam-se ainda os deuses da mitologia grega: Zeus, Poseidon, Hermes e etc. Tem o tronco-formigueiro gigante, cuja escultura é à base de cimento, já que os sanitários ficam nas raízes. ???Esta segunda fase será em alvenaria, e terá, inclusive, um espaço com formigas de verdade???.
Para ele, que considera seu talento um dom de Deus, é inexplicável a sensação ao ver a obra pronta. ???Pego uma xícara de café, atravesso a rua e fico apreciando a peça que eu fiz. Considero-me abençoado, e entendo que os dons a gente vai multiplicando. Escultura é a minha vida. E eu sabia que estava sem opção: ou vivia da arte ou vivia da arte???, diz.
A ???Costela de Adão??? que ficou em exposição na Nona Mostra da Loja D&D em São Paulo foi feita na calçada da casa, porque ele ainda não tinha o ateliê. Apesar do talento, Samuel não tem ambição quanto a uma carreira internacional. Se conseguir que suas obras cruzem as fronteiras, será extremamente positivo. Porém, ele não pensa nisso. ?? que Samuel, aos poucos, está migrando para a cerâmica, o cimento e a pedra sabão, e, às vezes, até utiliza o bronze nas peças. ???Estou trabalhando num mosaico gigante na fachada de um prédio. Será em alto relevo retratando a flora brasileira. Este trabalho é feito com diferentes argilas, que depois de esmaltadas, vão se transformar em cerâmica decorativa. Por enquanto, pretendo que minhas obras sejam conhecidas no país inteiro???, explica. O SENHOR DO ENGENHOPlena manhã de sábado, feriado do Dia das Crianças, e ele se dispôs a conceder a entrevista. Samuel diz trabalhar noite e dia, já que quando não está com a mão na ???massa???, está pensando. Chega a se dedicar 14 horas por dia à arte. ?? que ao fazer uma obra, primeiro a projeta na mente. Visualiza, desmonta, e junta o esqueleto. Trouxe consigo duas peças ??? a fonte do beija-flor, que ainda está inacabada; falta esmaltar e levar ao forno de 1.200 graus para dar o acabamento. E o mini Platão, à base de argila. ???A fonte do beija-flor vai ficar brilhando igual a um prato. O Platón levou um dia inteiro. Primeiro, eu fiz o molde em silicone, depois a resina com carbonato de cálcio, apliquei na forma e colei na madeira”.
Samuel Antero também leciona artes no Ateliê da Glória Queiroz, em Sousas. Ele ministra a aula de Escultura em Cerâmica. E o escultor tem participado da Feira de Artesanato que acontece atrás da Igreja Matriz, na Praça Manoel de Vasconcellos. E também na Feirinha da Villa Flora. A exposição é das obras da loja, por enquanto virtual, ‘Senhor do Engenho ??? Produções Artísticas’. Enquanto expõe, produz; o que chama a atenção dos frequentadores. Numa das suas exposições, produziu um mico-leão-dourado. ???Estou iniciando essa experiência, e tem sido muito gratificante, especialmente porque as pessoas param para ver. Aí que eu percebo que a beleza está nos pequenos detalhes???.
Sua ???plantação de tomate???, por exemplo, foi parar na novela ???Meu Pedacinho de Chão???. Em 2010 ele teve sua primeira participação no cinema nacional. Teve a missão de envelhecer a pintura de uma parede zerada em Corações Sujos; ou seja, precisou dar vivência de época, já que o longa-metragem retratou o período próximo à Segunda Guerra Mundial. ???Tive até que tampar os parafusos, porque naquela época não havia, por exemplo, o Phillips???.
E já são aproximadamente 20 filmes que trabalhou, desde pintura de arte, cenografia, adereços, contrarregra de cena, enfim trabalhos de um verdadeiro arquiteto. Aliás, Arquitetura é uma faculdade que não descarta fazer futuramente. Poucos sabem, mas foi ele que fez a máquina em que Wagner Moura viaja no tempo em ???O Homem do Futuro???. Toda a cenografia do ???Vai que dá certo 2??? também é de Samuel Antero. Quem não se lembra de Pedro Malazarte? Pois é, Samuel foi o contrarregra. Somando tudo, ele ficou seis anos no cinema. Ainda teve participação em Jezabel. O nome de Samuel Antero também aparece nos caracteres do filme ???O Menino no Espelho???, de Fernando Sabino. Quer mais? Participou de ???Serra Pelada??? e ???Faroeste Caboclo???. ???Minha participação foi de pintura-arte, incluindo apagar pichação e manter o envelhecimento???.
INICIANDO NAS ARTESSamuel Antero recorda que na quinta série recebeu o incentivo da professora Audrey, amiga até hoje, que o lapidou. Foi com ela que ele teve o primeiro contato com a cerâmica. A própria professora iniciou o projeto de presépios, aonde ele foi voluntário juntamente com outros alunos. O voluntariado virou profissão. Passou a trabalhar na área de ilustração, fazendo presépios.
Aos 17 anos conheceu Paulo Cesar Tadeu Gulla, que esculpe em mármore, e descobriu que a escultura era sua verdadeira paixão. Ao lado dele, veio a primeira grande obra ??? um painel gigantesco, esculpido em mármore bege Bahia ??? fica em Paulínia. ???O Tadeu era o mestre e me colocou para coordenar a equipe, de 17 integrantes. Terminada a obra, a equipe se desfez, e eu segui carreira sozinho. Depois, tive a grata satisfação de conhecer a marchand Sueli Pennone, outra fera da área, que me apoiou bastante”.
Cada profissional que passou por sua vida teve contribuição significativa em sua carreira, a começar pelo pai, que é pedreiro. Na infância o acompanhava nas obras, e na adolescência já começou a ganhar alguns trocados como ajudante. Isso, segundo ele, deu o que considera fundamental na construção das peças: visão. ???Decidi que ia aprender a profissão, e construir a minha própria casa. Claro, casa de ferro, espeto de pau. Vai levar um tempinho, mas vou concluir. Felizmente, minha esposa Aline é minha parceira, e só tenho sucesso porque ela é uma grande mulher que está ao meu lado???.
Depois de passar um tempo no cinema e ter participado de novelas e seriados de televisão, como Cafarnaum, em que construiu Jerusalém em isopor, madeira e chapisco, ou seja, montou uma estrutura em sarrafo e compensado,  foi morar no Rio de Janeiro. Atuou no comercial da L´Oréal, como contrarregra em que segurou a bicicleta da atriz Taís Araújo, e construiu os cenários. De volta a Sumaré, aos 33 anos de idade, considera-se realizado e muito abençoado. ???Sobrevivo do que gosto e sei fazer: a arte???.
E 17 anos depois de ter mergulhado nesse universo chamado arte, diz estar apenas no começo. Para conhecer mais o trabalho do escultor sumareense, basta acessar @Samuel_escultor ou @Senhor_do_engenho (tanto Instagram como Facebook).

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE