Nova Odessa tem 400 imigrantes

Um levantamento inédito realizado pela Diretoria de Assuntos Metropolitanos da Prefeitura de Nova Odessa apontou que existem cerca de 400 imigrantes vivendo atualmente no município. A pesquisa, feita com base nos imigrantes que recebem ou receberam algum atendimento da Administração, revelou ainda que embora haitianos e bolivianos sejam as nacionalidades com maior grupo, pessoas vindas de outros 29 países moram na cidade.

Diretora de Assuntos Metropolitanos, Miriam Carceliano de Almeida explicou que o levantamento, solicitado pelo prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza, foi feito junto às secretarias e diretorias da Prefeitura. “Buscamos saber em quais serviços estas pessoas são atendidas, onde moram, se possuem familiares na cidade ou estão sozinhas”, disse.
Segundo ela, no caso dos haitianos foi feita também pesquisa junto das igrejas e comunidades que participam. “Temos preocupação em saber onde estão estas pessoas, como são atendidas, em que podemos ajudá-las”, disse.
De acordo com o levantamento, atualmente 160 haitianos e 119 bolivianos residem em Nova Odessa. Há ainda 19 portugueses, 16 japoneses, 14 italianos, 12 argentinos e 12 chilenos. Em menor quantidade, os demais imigrantes são do Paraguai, Colômbia, Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, China, Coreia, Cuba, México, Peru, Venezuela, Áustria, Grécia, Holanda, Inglaterra, Polônia, Estônia, Letônia, Lituânia, Gana, Serra Leoa, China e Líbano.
O prefeito Bill adiantou que os dados serão usados para desenvolvimento de políticas públicas de acolhimento e direcionamento dos imigrantes. “Estes imigrantes já são atendidos de alguma maneira pela Prefeitura, seja com atendimento de Saúde, escolas ou ainda participando de algum projeto da Promoção Social. Estes dados são muito importantes para que possamos ver a melhor maneira de atendê-los”, afirmou.
A diretora revelou que, em relação aos bolivianos e haitianos a escolha de Nova Odessa para viver está relacionada à qualidade de vida e também oportunidade de emprego. “Eles veem a cidade como oportunidade para mudarem de vida. Temos boas escolas, empresas, estamos próximos de grandes centros e em uma região privilegiada e todos estes fatores são considerados por eles”, disse.
ATENDIMENTOS – O levantamento apontou que a maior parte dos haitianos trabalha em supermercados e indústrias da cidade, enquanto os bolivianos veem na confecção a oportunidade de emprego.
Segundo a Diretoria de Promoção Social, a Administração assiste alguns imigrantes através de programas sociais como o Viva Leite ??? iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, que oferece um complemento alimentar de alto valor nutritivo enriquecido com ferro e vitaminas essenciais -, Bolsa Família ??? do Governo Federal ??? e cestas básicas.
Eles também recebem, quando necessário, atendimentos na rede pública de saúde e nas escolas, com inserção das crianças nas unidades escolares.
GRUPO DE ACOLHIMENTO – Com a conclusão do levantamento dos imigrantes, a Prefeitura de Nova Odessa deve agendar nos próximos dias reunião com representantes do Estado, Assembleia Legislativa e OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para apresentação dos dados. A expectativa é desenvolver também junto a eles projetos políticas públicas de acolhimento e direcionamento destas pessoas.
“Quando vieram aqui eles se propuseram a realizar, em conjunto com a Administração, iniciativas para orientação destes imigrantes e agora, com estes dados em mãos, acredito ser o momento para iniciarmos mais esta etapa”, disse Miriam.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE