Nova Odessa registra morte por H1N1

A Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa recebeu neste mês a confirmação, por parte do Instituto Adolfo Lutz, de uma morte provocada por H1N1. O paciente, um homem de 74 anos, que faleceu no dia 27 de junho, estava internado em um hospital particular de Americana, não tinha registro de vacina contra a gripe em 2017 e 2018 e apresentava problemas pulmonares. “?? um paciente que fazia parte do grupo de risco, mas que, infelizmente, não procurou se vacinar, mesmo com enfermidades preexistentes”, afirmou o secretário de Saúde, Vanderlei Cocato. “Por isso sempre reforçamos a necessidade de vacinação”, completou.

Ainda de acordo com a Vigilância Epidemiológica, foram registradas até o momento 18 notificações, com um caso positivo para H1N1 (óbito). No ano passado, foram 8 notificações, com três casos positivos de Influenza A (H3N2) – com um óbito – e três casos de VSR (Vírus Sincicial Respiratório)
A Prefeitura de Nova Odessa, através da Vigilância, efeituou diversas ações para facilitar o acesso da população às vacinas. Algumas medidas contribuem também para prevenir a doença. São cuidados simples com a higiene diária, fundamentais para evitar a contaminação,
como lavar as mãos com água e sabão com frequência e evitar colocar as mãos no rosto. O uso do álcool em gel na impossibilidade de lavar as mãos também é fundamental. Usar lenço de papel descartável para tampar a boca e o nariz ao tossir e espirrar e ingerir bastante líquido, além de se alimentar adequadamente, são outras orientações.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE