Nova Odessa já restaurou 500 bocas de lobo esse ano

Desde o começo de 2021, as equipes da Prefeitura de Nova Odessa veem realizando a limpeza, recuperação e manutenção das galerias de águas pluviais de todas as regiões da cidade, inclusive da zona rural. E já são mais de 500 as “bocas de lobo” recuperadas, de locais como o Centro, o 23 de Maio e o Jardim São Manoel, entre outros. A manutenção é feita por cinco servidores municipais. Até o final do ano, mais 150 a 200 locais devem passar pelo mesmo procedimento de zeladoria preventiva.

Este serviço, normalmente realizado no inverno (período de seca e estiagem na região Sudeste do Brasil), é preventivo. “As equipes da Secretaria de Obras, Projetos e Planejamento Urbano estão gradualmente limpando e corrigindo a estrutura dos pontos de entrada das galerias para evitar alagamentos causados pelas enxurradas quando começar a próxima estação chuvosa, no verão”, explicou a titular da pasta, Miriam Cecília Lara Netto.

Segundo Luan Vitorelli, que é diretor de Serviços Urbanos da Secretaria, tais manutenções consistem na limpeza dos entulhos que tampam as bocas de lobo, além da troca de tampas e grades danificadas. “Fazemos a limpeza em média de duas bocas de lobo por dia, dependendo da situação até três. Em algumas delas, quando precisamos, temos que fazer algumas reformas para melhorar a estrutura, como quando há grades quebradas ou calçada danificada, por exemplo”, disse.

A medida é necessária para melhorar a vazão de água nessas estruturas quando chove forte e, assim, evitar o seu entupimento na época de chuva, o que pode gerar pontos de alagamento no município. “Temos que fazer o máximo de limpezas possíveis na época de estiagem, para quando a chuva chegar o impacto dela ser muito menor na cidade”, ressaltou o diretor.

O processo começa com a retirada da sujeira da parte interna da galeria, depois é utilizada água em alta pressão para eliminar possíveis obstruções do encanamento e, por fim, é feita uma vistoria da estrutura, “para analisar se há algo fora do lugar, algum bloco ou alguma grade quebrada que tem de ser substituída”. No caso das áreas rurais, o reparo mais comum é a desobstrução das galerias, removendo as grandes quantidades de barro e areia acumuladas, causadas também pelo carreamento de material sólido pelas águas das chuvas.

“Esse serviço é de muita importância, pois além de uma medida de recuperação da infraestrutura, é também uma segurança. Sem as bocas de lobo funcionando corretamente, a drenagem urbana é prejudicada, resultando assim no transbordamento sobre as ruas da cidade e, consequentemente, em enxurradas que podem causar riscos às pessoas andando na calçada, aos veículos transitando pelas vias públicas e mesmo aos imóveis próximos das áreas sujeitas a riscos”, completou Miriam.

É importante lembrar também que a população deve fazer a sua parte para manter a “saúde” das bocas de lobo e das galerias de águas pluviais, evitando jogar lixo, entulho ou restos de matéria vegetal (como galhos e folhas) em calçadas, ruas, avenidas, terrenos baldios ou áreas verdes municipais. Com as chuvas, todo esse material pode ser carreado para as galerias, entupi-las e causar alagamentos pontuais.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE