Nova Odessa fecha 3 bares que ‘peitaram’ quarentena

Em operação realizada na tarde desta quinta-feira (16), a Vigilância Sanitária de Nova Odessa e a Polícia Militar lacraram três bares que atendiam consumidores normalmente no interior dos estabelecimentos, descumprindo o decreto estadual 64.881/2020, que estabelece medidas para conter a transmissão do novo coronavírus. Os proprietários têm dez dias para apresentação de recurso. Enquanto isso, as atividades ficam suspensas e, caso a decisão seja desrespeitada, eles podem ser novamente autuados e multados.
Os bares fechados ficam no Jardim Santa Rosa (dois) e no Jardim Alvorada. De acordo com a Vigilância Sanitária, os proprietários já haviam sido orientados e notificados sobre as restrições de funcionamento durante a quarentena. No caso de bares, o atendimento só é permitido nos sistemas ‘drive thru’ (retirada no balcão) e ‘delivery’ (entrega em domicílio).
“Quando chegamos aos locais, encontramos pessoas aglomeradas, consumindo produtos no interior dos estabelecimentos, em total descumprimento do decreto estadual e do Código Sanitário do Estado [lei estadual 10.083/1998], que prevê interdição imediata em situações em que a saúde da população seja colocada em risco”, explicou a diretora de Vigilância em Saúde, Priscilla Amaral Rangel Belmonte.
FISCALIZA????O CONTINUA. De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária, Renata Lacerda, as ações seguirão intensificadas para garantir o cumprimento da quarentena no município. Também participaram da operação desta quinta as autoridades sanitárias Andréia Cassimiro e Leoncio Neves. 

Desde que a quarentena foi decretada no Estado, a Vigilância Sanitária notificou mais de 200 estabelecimentos comerciais em Nova Odessa. Um dia após a vigência do decreto, 40 bares e uma igreja foram fechados na cidade, numa ação que contou com apoio da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal. No dia 1º de abril, uma área pública usada como clube de pesca não autorizado também foi fechada pela autoridade sanitária e guardas municipais. Pelo menos 100 pessoas estavam no ‘pesqueiro’ no momento da abordagem.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE