Edit

Nova Odessa e Sumaré ampliam estrutura na Saúde

“Nova Odessa e região estão entrando na fase mais grave da pandemia de Covid-19. Teremos 15 dias muito difíceis pela frente. É hora de cuidarmos da vida. Temos que nos cuidar agora para voltarmos o mais rápido possível para a normalidade”. A frase é do prefeito Cláudio Schooder, o Leitinho (PSD). A partir da segunda-feira, dia 15, e até 30 de março, todo o Estado entra na “fase emergencial” do Plano São Paulo, com restrições severas.

O objetivo é diminuir a circulação do novo coronavírus, evitar novos casos da doença e, assim, tentar preservar o Sistema de Saúde para que as UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para pacientes graves não lotem. A Administração vai manter todos os serviços essenciais neste período, assim como vai intensificar a fiscalização do cumprimento das regras do Governo do Estado para os setores da Economia, confirmadas na sexta-feira (12).

“O Brasil bate recorde de casos e está perdendo mais de 2 mil vidas por dia. As UTIs dos hospitais estão lotadas. A vacinação continua, mas a vacina ainda não chegou para todos. Para evitar o colapso da Saúde, o Governo de São Paulo decretou fase de emergência em todo o Estado. Em Nova Odessa, a Prefeitura vem fazendo tudo que pode para evitar o colapso da Rede de Saúde”, afirmou Leitinho.

Recentemente, a Prefeitura de Nova Odessa ampliou o número de leitos na UR (Unidade Respiratória) do Jardim Alvorada de 12 para 18. A UR também conta agora com rede de oxigênio e cinco respiradores, garantindo capacidade de oxigenação de pacientes em todos os 18 leitos. Na sexta-feira, 12 leitos da UR estavam ocupados, com quatro pacientes graves aguardando vagas do Estado em UTIs de hospitais da região.

“Também estamos criando emergencialmente mais 11 leitos de enfermaria com capacidade de oxigenação em uma ala totalmente isolada do Hospital, elevando para 29 o total de leitos respiratórios”, reforçou o prefeito de Nova Odessa. A nova ala respiratória do HMNO, que tem até entrada própria e exclusiva, deve entrar e operação já nos próximos dias.

Leitos

Membros do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus de Sumaré visitaram na sexta-feira (12) as instalações do Hospital Madre Theodora, em Nova Veneza, verificando as condições do espaço para a implantação de mais 40 leitos de baixa e média complexidade para tratamento do coronavírus, todos disponibilizados pelos Município.

Após um esforço conjunto entre Prefeitura e Câmara, uma resposta positiva do grupo empresarial Amil, proprietária do espaço, foi dada ontem, dia 11, disponibilizando o prédio para a implantação dos novos leitos. Agora, o Comitê dá continuidade aos trâmites burocráticos. O próximo passo é fazer a limpeza do prédio, além de finalizar os detalhes técnicos e legais.

Em 2020, um contrato foi firmado com o grupo, que disponibilizou o espaço até o fim de dezembro passado para a Municipalidade. Com a alta no número de casos de coronavírus e de necessidade hospitalar, as conversas foram retomadas para a implantação dos novos leitos, que não são de UTI, são para o tratamento dos casos de baixa e média gravidade.

“Agradecemos ao grupo Amil por mais uma vez ceder o espaço para a Prefeitura e ser parceiro da nossa cidade”, disse o prefeito Luiz Dalben. “Seguimos trabalhando com muita seriedade para combater o coronavírus e lutar pela saúde da população. Temos trabalhado muito e feito mais do que poderíamos fazer como Município”, completou.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE