Nova Odessa antecipa combate à dengue

O inverno não foi tão frio e a primavera iniciou com registro de temperaturas recordes e chuvas de forte intensidade. Preocupada com este ‘calorão fora de época’, a Vigilância em Saúde de Nova Odessa decidiu antecipar as ações de prevenção à dengue e inicia nesta quinta-feira, dia 1º, os arrastões para recolhimento de possíveis criadouros do Aedes aegypti. O objetivo é conscientizar a população a manter a cidade limpa, evitando assim a procriação do mosquito transmissor da doença.
Nova Odessa registrou 1.793 casos positivos da doença durante o ano dengue, que compreende o período de 29 de junho de 2014 a 04 de agosto deste ano. Ao todo, foram 3.246 notificações no período. “Assim como outras cidades da região, registramos um aumento considerável no número de casos e não queremos que esta situação se repita”, explicou o diretor da Vigilância em Saúde, Manoel Messias.
“Este ano as temperaturas permaneceram alta e não tivemos inverno, que é quando se registra uma queda no número de casos. Como a expectativa é de dias cada vez mais quentes, decidimos antecipar nossas ações”, continuou.
De acordo com o diretor, na quinta-feira serão iniciados os arrastões para recolhimento de possíveis criadouros do Aedes aegypti. Durante a ação, agentes da Vigilância em Saúde também farão a orientação dos moradores e distribuição de panfletos sobre como se prevenir da doença. “Geralmente estas ações têm início apenas no final de novembro”, explicou.
As ações serão intensificadas nos bairros São Jorge, São Manoel, Santa Rosa, Vila Azenha e Jardim ??den, que juntos registraram 670 casos da doença. “Apenas no São Jorge tivemos 240 casos, o que equivale a 13,3% de todos os casos registrados na cidade”, disse.
O diretor lembrou que o mosquito da dengue se reproduz em água parada e que a prevenção à doença está diretamente ligada à conscientização da população. “A Administração tem feito sua parte com campanhas explicativas e dando início novamente aos arrastões, mas precisamos que toda população esteja disposta a ajudar. Uma simples tampinha de refrigerante jogada na rua ou no quintal pode servir de criadouro para o mosquito, então toda atenção é necessária”, explicou.

LABORAT??RIO ITINERANTE ??? Messias destacou ainda que o trabalho de conscientização não parou e que o projeto do laboratório itinerante lançado no início deste ano segue sendo realizado em toda cidade. “Esta conscientização é de extrema importância e durante os últimos meses foram inúmeras as ações que realizamos com nosso laboratório”, disse.
Através deste projeto, intitulado “Dengue, nem vem que não tem”, uma equipe da Vigilância em Saúde percorre escolas, entidades e empresas realizando palestras sobre a dengue. A kombi utilizada na ação conta com um laboratório itinerante onde é possível acompanhar as diferentes fases de evolução do Aedes aegypti.
Na semana passada, agentes da Prefeitura estiveram na Ober S/A Indústria e Comércio participando da Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho). Na ocasião, cerca de quatro mil funcionários assistiram a palestra e visitaram o laboratório itinerante. “Recentemente desenvolvemos este projeto no Sesi e também com os jovens do SOS. Temos visitado inúmeras empresas e entidades com este objetivo único de conscientizar”, disse Messias.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE