Nova Odessa adia aulas presenciais na rede municipal

Uma reunião no final da última semana dos Núcleos Internos de Planejamento e Combate ao Coronavírus das Secretarias Municipais de Saúde e Educação da Prefeitura de Nova Odessa decidiu pela suspensão do início das aulas presenciais na Rede Municipal, que estava previsto para o próximo dia 08 de março. Foi levada em conta pelo grupo de trabalho, principalmente, o agravamento da pandemia de Covid-19 no Estado – e no Brasil de forma geral – nas últimas semanas, e a necessidade de manter a segurança de alunos, familiares e equipe das creches, pré-escolas e escolas municipais.

Os núcleos foram criados pelo prefeito de Nova Odessa, Cláudio José Schooder, o Leitinho, já no dia 1º de janeiro deste ano, exatamente para apontar as medidas necessárias para enfrentamento da doença no atual momento da pandemia, preparar a Rede Municipal de Saúde para fazer frente ao aumento de casos positivos e para a vacinação contra a Covid-19, e preparar a Rede Municipal de Educação para a retomada segura das aulas presenciais, quando isto for possível, bem como para incrementar a capacidade e as condições da equipe pedagógica manter aulas online enquanto for necessário – entre outras ações de cada pasta.

“Em função da gravidade que a pandemia voltou a ter nas últimas semanas, foi deliberado pelos Núcleos o adiamento do retorno das aulas presenciais na Rede Municipal, como estão fazendo praticamente todas as cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas). Queremos garantir que, quando voltarmos, seja um retorno seguro para todos. A taxa de contaminação e transmissão do vírus voltou a subir na nossa região e, como o prefeito Leitinho sempre aponta, nossa prioridade é a preservação da vida em primeiro lugar”, justificou o secretário de Educação de Nova Odessa, José Jorge Teixeira.

Segundo o educador – que é diretor de escola concursado na Rede Municipal –, a nova previsão de retorno gradual das aulas presenciais no Município é para o dia 05 de abril, dependendo novamente de uma reavaliação constante da situação da pandemia. Quando as aulas presenciais forem retomadas, será num sistema híbrido, com parte dos alunos em sala e parte em casa, acompanhando pela internet, com escalonamento de estudantes em grupos e dias alternados e horários reduzidos.

“Até lá, continuaremos com aulas apenas no modo remoto, até podermos evoluir para um sistema híbrido, com o apoio de apostilas e apoio da tecnologia para poder conectar professor e alunos. Semanalmente, estaremos reavaliando como está o avanço da epidemia de Covid-19, para sempre tomarmos a melhor decisão”, completou o secretário.

A Rede Municipal novaodessense, mantida pela Prefeitura, possui 25 unidades, entre creches, pré-escolas e escolas de Ensino Fundamental I, e conta com 55 diretores e especialistas, 400 professores, 200 integrantes nas equipes de apoio e atende a cerca de 5,6 mil alunos com idades de até dez anos.

Até o início do Ensino híbrido com parte dos alunos e sala de aula, a Rede Municipal continua aprimorando e aplicando um novo “Protocolo Afetivo de Retorno às Aulas”. O Município iniciou no último dia 10 as aulas virtuais (através de ferramentas de Ensino à Distância) do ano letivo 2021.

“A Secretaria está tomando todos os cuidados sanitários e de aquisição de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para todos os professores e servidores que atuam nas escolas da Rede Municipal. Estamos também tomando os devidos cuidados no que diz respeito ao acolhimento, ao cuidado e o ‘saber escutar’ os anseios e dúvidas dos nossos estudantes. Por isso, criamos o Protocolo Afetivo, trabalhado na semana passada junto aos nossos docentes, garantindo um retorno com o menor número de traumas possíveis”, explicou recentemente o secretário.

LEITURA

Paralelamente, e independentemente da preparação da Rede Municipal para a volta gradual das aulas presenciais, a Secretaria também prepara um novo e inédito projeto de incentivo à Leitura que envolva toda a família do aluno.

“É uma estratégia que estamos criando para este momento de adversidade. Os alunos devem receber livros para ler em casa, com a família. A ideia é demonstrar que ler pode ser tão divertido quanto brincar – e quando falamos em brincar, isso cria um espírito descontraído na criança. Também teremos uma biblioteca virtual além dos livros físicos. São estratégias para levar Ensino de qualidade para as famílias mesmo na pandemia”, completou Zé Jorge.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE