NO premia vencedores do ‘Pé de Poesia’

A Diretoria de Cultura e Turismo de Nova Odessa anunciou na noite desta quinta-feira, dia 31, os vencedores do projeto “Pé de Poesia”. Além de receberem seus prêmios, os poetas declamaram ao público suas obras. Em sua segunda edição, o concurso cultural contou com participação de 70 poetas profissionais e amadores de todo País.

Vencedor da categoria “Menores de 14 anos”, o estudante Luís Phelipe Lima dos Santos declamou ao público a poesia “Posso não ter algo”. A estudante Rafaela Cristina Figueiredo conquistou o segundo lugar com a poesia “Capitães de Areia” e também apresentou sua obra aos presentes. Já o terceiro lugar nesta categoria foi conquistado por Lucas Ricardo Luciani, com a obra “Contratempo de Pensar”.
Já na categoria “Maiores de 14 anos”, a grande vencedora foi Rosana Maria Cardelli Ferreira com a obra “Desabafo”. O segundo lugar ficou com José Martins de Bonfim, que declamou ao público sua poesia, intitulada “O Lixo”. Nívea Maria Pereira Putin ficou em terceiro lugar com “Eu vivi”.
Os primeiros colocados foram premiados com um tablet cada. Já os segundos e terceiros colocados receberam um HD externo e uma coleção de livros diversos, respectivamente.
“Chegamos ao final deste concurso muito orgulhosos, pois tivemos grande participação da sociedade. Quero parabenizar os vencedores pelas obras e agradecer a todos que apostaram em nosso projeto e inscreveram suas poesias”, disse o diretor de Cultura e Turismo Leonardo Blanco.
Segundo ele, as poesias vencedoras serão expostas nas repartições públicas como forma de divulgar as obras e seus autores e também inspirar as pessoas sobre diversos temas. “Vamos literalmente levar poesia às pessoas com a exposição destas obras”, afirmou.
O diretor lembrou que esta edição do “Pé de Poesia” contou com cerca de 70 inscrições, algumas de outras cidades e estados. “O que queremos com esta iniciativa é dar espaço e valorizar a arte poética, fomentando a cultura”, finalizou.
CONHE??A OS POETAS E AS OBRAS VENCEDORAS
CATEGORIA “MENORES DE 14 ANOS”
1º Lugar”Posso não ter algo”De Luís Phelipe Lima dos Santos (pseudônimo: “Pitoquinho”)
Posso não ter um centavo no bolso,Mas tenho olhos, no rosto.No espelho a gente percebe,Que há gente como a gente.
Há palavras que nos fazem iguais,Dor, amor,Calor, esplendorNo perfume de uma flor.
2º Lugar”Capitães de Areia”De Rafaela Cristina Figueiredo (pseudônimo: Rafinha 98)
Crianças abandonadasNo princípio só meninosDe pele escura ou claraRostos magros e franzinosCom dentes amareladosSorriem para o mundoA dor que senti na vidaJá sentiram num segundoNuma única noite escuraNum trapiche abandonadoOs meninos estão rindoDe suas mágoas do passadoProfessor lendo seu livroO Sem-pernas a cantarO Gato se arrumandoVai sair pra namorarA Dora chegou no caisJunto de seu irmãoAvistou o Pedro BalaE para ele deu seu coração
3º Lugar”Contratempo de Pensar”De Lucas Ricardo Luciani (pseudônimo: MacBoy Robson Veganno)
Liberdade de pensamentoUm poeta com tempoA luz da janelaTraz memórias de momentosDe quando o mundo era quieto e não um tormento
Os pensamentos pausam a cada pontoIdeias entram e outras somemPessoas com pressaAtrapalham o fluxo dos sonhos
Prender um pensamento?? não dar liberdade para um pássaroQuem nunca sonhou em voar?Então porque proibi-lo de voltar aos galhos?
Sentir-se preso?? não conseguir pensarEm outra coisa que não sejaNas moedas de ouroQue o mundo vai te dar
Somos todos presos por algoMas sabemos que ser livre nos permite sonharO problema de voltar para realidade?? que o tanto de números não nos deixar pensarEstá tudo tão programadoQue acabo calculando a equação para aprender a sonhar

CATEGORIA “MAIORES DE 14 ANOS”
1º Lugar”Desabafo”De Rosana Maria Cardelli Ferreira (pseudônimo: Doçura)
Num momento de tristezaOnde meu coração se calaPenetra dentro de mimUma força que me abala.Vejo o mundo viverMas eu continuo paradaNo meu íntimo há dorMas eu continuo calada.Porque tantas injustiçasQuantas coisas sem sentidoMuitas vezes até pensoQue tudo está perdido.Tão logo me vem uma forçaIndescritível lembrançaMeu peito explode e gritaComo se eu fosse criança.Desprezada e quase nadaSe levanta em meu serEm meio a tantas dúvidasVem a necessidade de viver.Creio numa forte esperançaQue existe uma Força MaiorQue existe tempo pra tudoQue existe um tempo melhor.
2º Lugar”O Lixo”De José Martins de Bonfim (pseudônimo: Bonfim de SBO)
Depósito daquilo que alguém jogou foraPorque achou que já não prestava maisMorada de ratos, insetos e outros bichos?? o próprio lixo, fétido e nojentoTambém um nicho de riqueza,Na esperteza e malandragemDe quem está na outra pontaE aponta para a empresa públicaGestora dos restos putrefatosQue vale quanto pesa a balançaQuando se quer que assim seja.
Lixo, luxo do catador, alimento, pão de cada diaDe quem nele trabalha e nada temEsperança de se garimpar entremeio a dejetosEm busca de um naco de comidaOu objetos que lhe sirva de ganho, ou troféu.
Quanta disparidade!Se comparado com a mesa farta da mansãoOs primeiros saboreiam as melhores iguariasEnquanto outros se desnutremDos sobejos e rejeitos, acreditando que ainda estava bom.
Se todo o lixo doméstico fosse descartado num saco preto ou sacolinha.Levando em conta a lei da comparaçãoPela forma de embalar seu lixoDá pra saber se o morador tem boa educaçãoO lixo segue à frente das moradias?? ali seu primeiro destino, uma lixeira ou latão,?? triste ver aquilo quando é dividido e reviradoEntre cachorros e seres humanosNuma procura faminta, feito separação de antemão
O lixo da consciência será compactadoDevendo ser descartado sob vigilância ambientalMas o caos da enchente continuaráEnquanto depositarem lixo na ruaPra enxurrada entupir bueiros.
Gente reclamar da chuva?? como a mão reclamar da luva!Ou o mamão reclamar da uva!
Sejam bem-vindos corvos ou urubusAos parques e jardins de sua moradaNobres lixeiros desse universoQue no alento lento de suas revoadasNos ensine a viver dignamenteEntre bicho gente e lixoNesse mundo adverso.

3º Lugar”Eu vivi”De Nívea Maria Pereira Putin (pseudônimo: Nima Luz)
Eu vivi!Eu nasci, cresci…Brinquei, pulei, sorri e chorei…Estudei, compartilhei, briguei, ganhei e perdi… Eu cresci…Entendi o que é o amor, de um pai e de uma mãe.De uma avó, de um avô, de uma irmã, de uma família cristã… Eu cresci…Joguei bola, pulei corda, brinquei de casinha, pulei amarelinha.Corri, me escondi… Eu me diverti… Eu cresci!Passeei, Viajei, namorei.Andei, corri, conheci coisas que nunca vi… Eu amadureci.O meu grande amor eu conheci.Casei, trabalhei, perdi e ganhei.Fui mãe de menino e menina, filhos presentes que a vida ilumina… Eu cresci…Lutei, busquei, conquistei.Sofri, sorri, chorei… Eu cresci…Conheci muita gente, perdi pessoas queridas, ganhei amizades divertidas…Eu vivi…Vivi intensamente, cada minuto, cada momento…Lembrando que a vida é linda mesmo com os sofrimentos.Em minhas tristezas, me tornei mais forte.Em minhas alegrias, me tornei solidária.Em minhas lutas, me tornei guerreira.Em minhas vitórias, inteira…Eu cresci… Eu vivi!Em tudo que vivi a Deus pediEm tudo que vivi a Deus agradeciO presente da vida, jamais esqueci…Afinal… Eu vivi!

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE