NO integra tratamento de esgoto a sistema de monitoramento em tempo real

O CCO (Central de Controle Operacional) da Coden Ambiental, empresa responsável pelos serviços de água, esgoto e manejo de resíduos sólidos em Nova Odessa, passou a monitorar a vazão do sistema de tratamento de esgoto da cidade. Agora, os volumes que chegam à ETE Quilombo e os que saem já tratados são monitorados em tempo real na sala de alta tecnologia que funciona desde 2017 na companhia.

O acompanhamento vai ampliar o controle e a eficiência no tratamento do esgoto produzido no município. O sistema de abastecimento de água já era gerenciado 24 horas por dia pelo CCO, o que permite diagnóstico imediato de eventuais problemas na captação, tratamento, armazenamento e na distribuição. A lógica agora se aplica ao tratamento de esgoto.

O prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza esteve na Coden na manhã desta quarta-feira (12) para conhecer o sistema, apresentado a ele pelo diretor-presidente da companhia, Ricardo Ongaro. “Temos o controle desde a chegada do esgoto doméstico até o final, quando ele é lançado para o Ribeirão Quilombo. Então, qualquer problema que houver não precisamos estar lá full time, nós estamos full time através da sala de controle. É mais um avanço de Nova Odessa em investimento na área ambiental, no controle e tratamento de esgoto”, afirmou o prefeito, que visitou a empresa municipal acompanhado do secretário-adjunto de Governo, Arthur Trevisoni.

O diretor-presidente da Coden Ambiental explicou que o monitoramento feito pelo Central de Controle Operacional permite avaliar o funcionamento de cada componente do sistema de tratamento, o que possibilita ações preventivas, se houver necessidade.

“É importante porque eu consigo avaliar a vazão que chega em tempo real e a vazão de saída, bem como a vazão individualizada dos quatro reatores (tanques onde o esgoto passa pelo tratamento final). Assim, consigo avaliar a eficiência dos reatores”, afirmou Ongaro. Na manhã desta quarta, a ETE recebia, em média, 96 litros de esgoto por segundo.

 

CONTROLE. Inaugurado em outubro de 2017, o CCO recebe informações em tempo real, via telemetria, dos  PNPs (pontos de monitoramento de pressão) distribuídos pela rede de água e também do nível dos reservatórios. O objetivo é aumentar a eficiência do sistema e reduzir perdas d’água, que alcançaram recentemente o menor nível da história (26%).

Por meio do monitor de 75 polegadas que fica na sala, é possível saber se alguma região está com problemas. O sistema também ajuda a detectar vazamentos e fraudes. Quando a pressão está muito baixa ou muito alta em determinada parte da cidade, uma equipe é acionada para ir ao local.

As recomendações técnicas são de que a vazão da água fique entre 10 e 50 m.c.a (metros de coluna d’água;). Se está em 50 m.c.a, por exemplo, isso significa que a água está com uma vazão equivalente à que estaria se caísse de uma altura de 50 metros (quanto mais alto, maior a pressão). Pelo monitor do CCO, é possível ver o m.c.a de cada ponto de monitoramento.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE