Núcleo de Cinema em Campinas faz financiamento coletivo

A animação brasileira vem crescendo, ganhando destaque no Brasil e no mundo, mas ainda há poucas obras sobre cinema de animação por aqui. Buscando contribuir para alterar este quadro, o Núcleo de Cinema de Animação de Campinas acaba de lançar sua primeira campanha de financiamento coletivo. O objetivo é lançar no país a obra de José-Manuel Xavier, ???Poética da Ilusão de Movimento???.
 O Núcleo de Cinema de Animação de Campinas é uma entidade com 44 anos de existência, sendo, portanto, uma das pioneiras da animação no Brasil. Seus diretores, Wilson Lazaretti e Maurício Squarisi, já realizaram mais de 2500 oficinas e cursos de animação por todo o Brasil e no exterior, para adultos e crianças, através de uma metodologia própria, que prioriza o traço autoral de cada aluno/autor. ???O Núcleo tem forte vocação educativa, difundindo sua filosofia de animação pelos quatro cantos do mundo. A “Poética da Ilusão de Movimento” vem fazer coro com essa filosofia. ?? um livro necessário, provocador e surpreendente???, comenta Filipe Augusto Miranda, animador e professor de artes. Membro do Núcleo desde 2012, Filipe organizou a campanha de financiamento na plataforma Catarse, em parceria com a LESMA – La Extraordinária Semana de Mostras Animadas, mostra de filmes na Unicamp, Universidade Estadual de Campinas, que chega em 2018 à 3ª edição. O livro O livro “Poética da Ilusão de Movimento”, do português José-Manuel Xavier, busca abordar a animação através da comparação com a poesia. O autor é um animador português, professor da Escola Nacional de Jogos e Mídias Digitais Interativas na França. Seus filmes já circularam nos principais festivais de animações do mundo e seus livros são citados em diversos trabalhos acadêmicos. ???Conhecemos o autor e a obra através da MONSTRA, um festival de cinema de Lisboa que, assim como o Núcleo, prioriza a arte da animação autoral???, comenta Maurício Squarisi.”O grande aliado de José-Manuel Xavier é Fernando Pessoa, que não foi animador, mas o seria, porque nele estava a poética da qual estamos falando. A arte da animação está intrinsecamente ligada à natureza humana desde os primórdios do nosso despertar como seres humanos. Temos de admitir, ou mesmo afirmar, que o homem primitivo era um animador poético”, diz Wilson Lazaretti, animador e fundador do Núcleo de Cinema de Animação de Campinas.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE