Natura &Co acelera integração da Avon em meio à Covid-19

Natura &Co registrou crescimento de receita no primeiro trimestre de 2020, com uma forte aceleração no processo de digitalização nas últimas semanas, em meio à rápida adaptação da companhia aos impactos globais sem precedentes da pandemia da Covid-19.

“Entramos em 2020 com entusiasmo e um plano sólido para a integração da Avon à Natura &Co. Não tínhamos ideia de que nosso foco e resolução seriam tão rapidamente testados por uma pandemia global de intensidade nunca vista antes. Como um grupo dedicado às relações e a uma melhor maneira de viver e fazer negócios, tivemos que avaliar imediatamente como poderíamos proteger melhor nossa rede, suas famílias e comunidades”, afirma Roberto Marques, presidente executivo do Conselho e principal executivo de Natura &Co.

“Primeiro, priorizamos nosso pessoal, oferecendo estabilidade de emprego, suporte à nossa rede e condições de segurança aos colaboradores da linha de frente. Segundo, aumentamos rapidamente a nossa produção de itens essenciais, doando uma quantia significativa para comunidades locais vulneráveis, ao mesmo tempo em que apoiamos causas importantes, como o combate à violência doméstica. Por fim, para assegurar a continuidade dos negócios, ampliamos treinamentos e recursos das nossas ferramentas digitais para que todos pudessem acessar nossos produtos. Gostaria de expressar minha sincera gratidão a nossas equipes pelo excepcional compromisso que demonstraram durante esse período desafiador, preocupando-se com nosso pessoal, comunidades e negócios”, complementa o executivo.

O trimestre é o primeiro a incluir os resultados da Avon Products, Inc, após a conclusão da aquisição em 3 de janeiro de 2020. Com participação da Avon, Natura &Co torna-se líder no mercado latino-americano no segmento de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (CFT, na sigla em inglês), com 11,8% de participação de mercado, segundo dados do Euromonitor. Natura &Co acelerou seu processo de integração com Avon e está aumentando suas metas de sinergias em US﹩100 milhões, para valores entre US$ 300 milhões e US$ 400 milhões, incluindo novas sinergias em receita a serem alcançadas em quatro anos.

A receita líquida consolidada da Natura &Co atingiu R$ 7,5 bilhões, um aumento de 1,9% em relação ao mesmo trimestre do ano passado. O crescimento foi impulsionado por um forte aumento nas vendas da Natura no Brasil e na América Latina Hispânica e um crescimento contínuo de dois dígitos na Aesop. O EBITDA ajustado foi de R$ 571,5 milhões, com margem de 7,6%, refletindo custos não recorrentes relacionados à aquisição de Avon e impactos da Covid-19.

Em meio à pandemia da Covid-19, as vendas digitais no social selling e no e-commerce cresceram exponencialmente, como resultado da adaptação de consumidores ao distanciamento social e às medidas de quarentena tomadas a partir de meados de março. As vendas do grupo no e-commerce aumentaram cerca de 250% nas últimas semanas em comparação ao mesmo período do ano anterior. Durante a quarentena, o e-commerce da Natura e Avon registrou crescimento combinado de 150% e expansão de 300% na The Body Shop e de mais de 500% na Aesop.

Natura &Co concentrou esforços para garantir o fornecimento de produtos essenciais, como sabonetes e álcool gel 70%, cuja produção aumentou 30%. Mais de 10 milhões de unidades desses itens foram encaminhados para doação. O grupo também lançou uma campanha para combater a violência doméstica, cujo aumento está associado às medidas de distanciamento social, e a Fundação Avon fez uma doação de US$ 1 milhão em apoio a organizações que cuidam de vítimas.

A Natura &Co Latam obteve um aumento de receita líquida de mais de 2,4% em reais. A receita líquida da marca Natura subiu 14,9%, apoiada pelo forte crescimento de vendas no Brasil (+9,8%) e na América Latina (+25,8%), apesar dos impactos da Covid-19 no final do trimestre. A receita líquida da Avon recuou 7,1% em reais, com a diminuição no número de representantes em todos os mercados da América Latina e o impacto da pandemia, parcialmente atenuado por uma melhor combinação de preço e portfólio. No Brasil, houve retração de 4,3%, metade do índice do quarto trimestre de 2019 (-8,3%), demonstrando melhora sequencial significativa, enquanto houve declínio de 8,9% na América Latina Hispânica. O EBITDA ajustado da Natura &Co Latam foi de R$ 287,5 milhões (+3,6%) e a margem EBITDA ajustada foi de 6,9% (+10 pontos base).

A Avon International, que compreende as operações da Avon em 50 mercados na Europa, Ásia, África e Oriente Médio, teve queda de 2,4% em reais em sua receita líquida no primeiro trimestre. O resultado foi causado pela redução no número de representantes e pelo impacto da Covid-19, parcialmente amenizado por uma combinação ajustada de preço e portfólio na maioria dos mercados. Entre as representantes, a adoção das ferramentas digitais passou de um dígito em 2019 para mais de 37% nas últimas semanas. As vendas por meio do folheto digital aumentaram quase 85% desde 1º de janeiro. O EBITDA ajustado foi de R$ 102,9 milhões e a margem, 4,8%.

A receita líquida da The Body Shop aumentou 2,6% em reais. A pandemia afetou o desempenho em fevereiro e março em todos os mercados, diminuindo o efeito do forte crescimento de janeiro. No primeiro trimestre, o canal The Body Shop At-Home (modelo de venda direta) cresceu 61%, enquanto foi observado crescimento de 300% no comércio eletrônico, ajudando a mitigar o impacto do fechamento de lojas globalmente. O EBITDA no primeiro trimestre atingiu R$ 133,6 milhões, com margem de 15%.

A história de sucesso da Aesop continuou neste primeiro trimestre, com expansão vigorosa de dois dígitos em vendas e lucratividade. Embora os efeitos do coronavírus tenham sido sentidos a partir de fevereiro devido à sua concentração inicial nos mercados asiáticos, a Aesop compensou parcialmente os fechamentos de lojas ao acelerar os aprimoramentos na experiência digital do cliente, resultando em um crescimento de vendas on-line de 500% nas últimas semanas, contribuindo para o crescimento geral da receita em reais de 26,6%. O EBITDA no primeiro trimestre cresceu 28,1%, para R$ 77,8 milhões, com aumento de 30 pontos base de margem, para 22,8%.

Natura &Co finalizou o trimestre com uma forte posição de caixa, de R$ 4,6 bilhões. A companhia também está fortalecendo o balanço patrimonial e a liquidez mediante um novo aumento de capital privado, de, no mínimo, R$ 1 bilhão e, no máximo, R$ 2 bilhões. Tal operação já garantiu o mínimo de R$ 1,0 bilhão, mediante a adesão e participação dos acionistas controladores e de investidores selecionados. Todos os acionistas poderão participar desse aumento de capital. Adicionalmente, a companhia concluiu um novo financiamento de um ano, no valor de R$ 750 milhões, para aumentar a liquidez, sem impacto na dívida líquida.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE