MP cobra de Aécio R$ 11 mi gastos em 1300 voos

O Ministério Público mineiro entrou com ação civil pública em que acusa o ex-governador e hoje senador Aécio Neves (PSDB) de realizar 1.337 voos em aeronaves do estado sem comprovação de interesse público no período em que ocupou o Palácio da Liberdade. Segundo a Promotoria, o prejuízo causado aos cofres públicos por Aécio foi de R$ 11,5 milhões.
 Na ação, o MP pede o ressarcimento do valor e quer a indisponibilidade de bens do tucano. Em despacho publicado na sexta (23), a juíza Claudia Costa Cruz Teixeira Fontes, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Belo Horizonte, afirma que o pedido de indisponibilidade de bens será analisado “após manifestação do político e do Estado” na ação.

Eleito deputado federal nas eleições de 2018, Aécio foi governador de Minas em dois mandatos. De 2003 a 2006 e de 2007 a março de 2010. A Promotoria contabilizou voos sem comprovação de interesse público para o Rio de Janeiro, onde o ex-governador possuía apartamento, e Claudio, cidade mineira onde a família do tucano possui fazenda.

Segundo o MP foram 138 voos para o Rio de Janeiro e 116 para Claudio. “Grande parte desses deslocamentos aéreos foram realizados para transporte de passageiros não identificados no momento dos voos.”

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE