Masturbação e sexo virtual em tempos de quarentena

Vários são os impactos psicológicos causados por uma pandemia na mente humana. O confinamento caracterizado pela quarentena trouxe muitas mudanças de rotina, várias restrições de contato social e físico, bem como uma angústia que tem afetado e alterado ainda mais os nossos hábitos. Surge, então, a necessidade da busca e descoberta de novas formas de se relacionar e de praticar atividades sexuais seguras. A sexualidade é uma fonte de prazer de extrema importância para a humanidade. O alívio das tensões se dá pois o orgasmo é uma espécie de descarga que libera substâncias como a endorfina, serotonina, dopamina e ocitocina. Cada uma delas provoca estímulos diferentes em nosso corpo, proporcionando diversos benefícios. Estimulado, o cérebro reage com sensações de bem-estar, de conforto e melhoria do estado de humor através de uma elevada produção hormonal e, consequentemente, alcançando o tão desejado relaxamento e trazendo o alívio da tensão causada pela quarentena. Além disso, podemos perceber uma melhora no poder de movimento, na atenção e na memória. Ganhos psíquicos adquiridos através do sexo que também contribuem para a ampliação da visão, da audição e do aumento das células de defesa, auxiliando, assim, no aumento da imunidade.  Em meio ao isolamento social, alguns solteiros ou casais que estão cumprindo a quarentena separados estão recorrendo à masturbação, ao sexo virtual ou ao ???sexting??? (trocas de mensagens sexuais) como maneiras de contenção da abstinência sexual. Por sermos seres afetuosos, a privação de atividades prazerosas, dos contatos físicos e a repressão do tesão tendem a aumentar a sensação de solidão, abalando a auto estima e fragilizando as concepções afetivas do indivíduo.  A solução pode estar nessa exploração do prazer individual  – que não nos coloca em risco de contaminação pelo vírus COVID-19 e ainda ajuda a aliviar a tensão momentânea, uma vez que a energia sexual exercida sem culpa e sem tabus contribui para uma mudança crescente de nossa visão da intimidade. A materialização dos desejos e fantasias através da utilização de ferramentas tecnológicas ou da descoberta individual de seu corpo e de suas sensações não apresenta qualquer contraindicação. Mas devemos ter a plena consciência de que nada supera o calor e o contato humano. Além disso, o sexo virtual requer precaução e segurança no ambiente da internet.   A restrição atual dos contatos classifica a masturbação e o sexo on line como sendo os mais seguros possíveis dentro da realidade que estamos vivendo. São opções que descomplicam a forma de se relacionar à distância. Ajudando a não surtar, aumentando a auto estima e estimulando o autoconhecimento do corpo e de suas emoções. Porém não se pode transformar esse prazer solitário em sua forma única de relacionamento, eliminando a possibilidade de se obter prazer através do contato físico com o outro. ?? muito importante não substituir 100% o contato real pelo virtual. Além disso, a prática compulsiva não é recomendada e devemos estar atentos ao fato de que todo e qualquer tipo de excesso pode ser prejudicial. Portanto, em um momento de incertezas como o que estamos vivendo, a busca pelo relaxamento e a descarga da tensão são essenciais para aliviar o estresse, a angústia, as frustrações e a sensação de isolamento que a pandemia instalou em nosso mundo, alterando drasticamente o nosso cotidiano. Permita-se sentir desejo. Desejar e se sentir desejado, sem culpa. Explore fantasias e entenda o sexo como um mecanismo de auxílio de seu bem estar e de sua satisfação. Elimine os tabus e os preconceitos. Masturbe-se ou faça sexo virtual com consciência, cautela e responsabilidade. Descobrindo, assim, novas maneiras de vivência do prazer íntimo e pessoal.   Dra. Andréa LadislauPsicanalista* Doutora em Psicanálise
* Membro da Academia Fluminense de Letras – cadeira de numero 15 de Ciências Sociais* Administradora Hospitalar e Gestão em Saúde* Pós Graduada em Psicopedagogia e Inclusão Social
* Professora na Graduação em Psicanálise
* Embaixadora e Diplomata In The World Academy of Human Sciences US Ambassador In Niterói* Membro do Conselho de Comissão de ??tica e Acompanhamento Profissional do Instituto Miesperanza* Professora Associada no Instituto Universitário de Pesquisa em Psicanálise da Universidade Católica de Sanctae Mariae do Congo. * Professora Associada do Departamento de Psicanálise du Saint Peter and Saint Paul Lutheran Institute au Canada, situado em souhaites.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE