“Mãos que Acolhem” atende alunos com dificuldade de aprendizagem

A rede municipal de ensino de Americana oferece todas as condições para que alunos com dificuldade de aprendizagem sejam inseridos no contexto escolar e, com isso, possam prosseguir com seus estudos. Para tanto, a Secretaria de Educação mantém em sua estrutura o Centro de Inclusão “Mãos que Acolhem”, que oferece apoio multidisciplinar a alunos com dificuldades, transtornos e distúrbios de aprendizagem.

Em 2019, uma média de cem crianças foram acolhidas com a realização de 7.146 atendimentos nas mais diferentes áreas. Em março de 2020, por conta da pandemia, o atendimento foi suspenso e foram mantidas apenas aconselhamentos virtuais com a equipe da escola. Com a retomada prevista para este ano, a coordenadora do centro estipula um número aproximado de 1.200 atendimentos anuais, com o acolhimento de 120 crianças e adolescentes por semana.

O atendimento é concentrado em dois endereços, um prédio na Rua São Miguel, na Vila Belvedere, e o trabalho psicopedagógico realizado nas dependências do Ciep Professor Octávio César Borghi, no bairro Cidade Jardim. As atividades são desenvolvidas por uma equipe composta de profissionais nas mais diversas áreas, como supervisora, coordenadora, psicopedagogas, psicólogas, fonoaudiólogas, terapeutas ocupacionais, arteterapeuta, cozinheira, servente e auxiliar administrativa, em um total de 16 trabalhadores.

“Além das dinâmicas com os alunos, realizamos um trabalho efetivo com a família também, dando oportunidade para o desenvolvimento integral do estudante, com respeito a sua história, suas particularidades e à diversidade de cada núcleo familiar e escolar”, afirmou a coordenadora do espaço, Maria Cacilda Sacilotto Santarosa.

A dinâmica de atendimento tem início com o envio de um relatório da escola detalhando as dificuldades que o aluno tem enfrentado em sala de aula. Em seguida, a família é chamada para uma entrevista e o aluno passa por uma triagem psicopedagógica. O processo de triagem identifica o problema pelo qual o aluno está passando e o encaminha para atendimento para alguma área específica de atuação. Durante o período de atendimento do aluno, são realizadas reuniões frequentes com a equipe da escola onde ele está matriculado e também com a família, com o intuito de incentivar e aprimorar o desenvolvimento do estudante.

“O ‘Mãos que Acolhem’ é um projeto modelo muito importante, que conta com o apoio de nossa secretaria. E queremos aprofundar e avançar, ainda mais, em políticas públicas de inclusão. Este é um compromisso e uma cobrança do prefeito Chico Sardelli constantemente”, disse o secretário de Educação, Vinicius Ghizini.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE