Maestro campineiro se destaca no exterior

O jovem compositor e maestro, Rafael Piccolotto de Lima, foi convidado a participar do workshop de compositores de jazz promovido pela BMI (Broadcast Music, Inc.), em Nova Iorque. Ele é o único brasileiro que integra o seleto grupo aceito pela associação, que é uma das principais referências de recolhimento de direitos autorais da música, nos Estados Unidos.
O programa ??? liderado por Andy Farber, compositor, saxofonista e professor da renomada Julliard School of Music – promove o encontro regular de compositores de jazz na sede da BMI, com o objetivo de fomentar a discussão e a criação de novas obras, com foco em ‘big bands’.  Durante os encontros, os compositores debatem sobre os trabalhos dos colegas e têm a oportunidade de ouvir as composições executadas por uma big band profissional reunida unicamente para experimentação de novas obras.
Para Rafael Piccolotto de Lima, a possibilidade de fazer parte do grupo de elite de compositores na “capital do jazz” é a porta de entrada para ingressar no mercado. “Quero levar a música brasileira comigo. Estou me mudando para Nova Iorque, talvez o maior centro cultural do mundo. Isso pode abrir muitas portas e facilitar a realização de vários projetos, como também contribui para dar notoriedade ao trabalho que já venho desenvolvendo há anos. “
Desde sua fundação em 1988, o workshop já foi dirigido por algumas das mais importantes figuras do gênero, como Bob Brookmeyer, Manny Albam, Jim McNeely e Burt Korall. Todo ano, uma parcela das obras produzidas é selecionada e apresentada ao público em concerto em Nova Iorque, quando uma das composições é premiada com o “BMI/Charlie Parker Composition Award”. Dentre a lista de ilustres vencedores das edições anteriores estão: Rufus Reid, Jamie Begian, Noriko Ueda, Darcy J. Argue, Sherisse Rogers, Asuka Kakitani, Jeff Fairbanks e Sara Jacovino.
No Brasil- Mesmo com sua carreira voltada para o mercado internacional, Rafael Piccolotto de Lima não abandona suas origens e mantém alguns projetos no Brasil. Um deles acaba de ser aprovado pelo Proac e será concretizado em 2017: a gravação do novo CD da Camerata Latino Americana com repertório representativo da produção erudita do interior do estado de São Paulo.
“Paisagens do Interior, a Terra do Café” é uma homenagem aos criadores musicais relevantes de diferentes épocas. Carlos Gomes ??? célebre compositor campineiro ??? será a figura central deste trabalho, revisitado por Rafael Piccolotto de Lima. Outras duas releituras de relevantes compositores interioranos também serão incluídas:  Almeida Prado e Egberto Gismonti.

Além dos 9 instrumentistas da Camerata Latino Americana, o projeto inclui a participação de Sonia Rubinsky como solista em três peças. Conhecida internacionalmente por suas premiadas gravações de Villa-Lobos (GRAMMY 1999 e Latin GRAMMY 2009), Rubinsky dará vida a novas obras através deste projeto, continuando seu trabalho de difusão do repertório erudito brasileiro de piano nos EUA e Europa.

Rafael Picolotto de Lima- Com apenas 30 anos, Rafael Piccolotto de Lima vem despertando a atenção de grandes nomes do jazz e da música erudita. Nascido em Campinas e formado pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o compositor foi indicado ao Grammy Latino 2013, com a obra “Abertura Jobiniana”, um tributo a Tom Jobim. Atualmente, Rafael conclui suas atividades como compositor e maestro assistente do Henry Mancini Institute (Miami), cargo que ocupou por 5 anos. Na Universidade de Miami continua como pesquisador em residência, expandindo sua pesquisa de doutorado sobre a intersecção da música erudita e música popular.
Ao longo de sua carreira como compositor e arranjador, Rafael teve suas obras apresentadas nos EUA, Brasil e Europa. Com seu repertório brasileiro foi premiado em Los Angeles no Peter Rugolo Big Band Arranging Competition promovido pela ASMAC (2016), Concurso Nacional de Arranjadores ARS BRASILIS 2012, em tributo a Milton Nascimento, e no II Concurso Latino Americano Ricardo Rizek 2009. Já com o repertório de jazz, teve seu trabalho reconhecido no concurso de compositores da Orquestra Jazz Sinfônica de Los Angeles 2016, JEN Student Showcase Award 2014, Downbeat Magazine Student Award por 5 anos consecutivos, de 2012 a 2016, acumulando um total de 11 prêmios, além de ser reconhecido por dois anos consecutivos no ASCAP Herb Alpert Young Jazz Composer Award (2014 e 2015). Trabalhou com grandes nomes do jazz e música erudita internacional, como o pianista Chick Corea, o trompetista Terence Blanchard, além de atuar como assistente dos compositores Vince Mendoza e Maria Schneider em concertos nos EUA.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE