Livro exorta mulheres a encontrarem a ‘potência feminina’

A jornada de Maria Barretto com o feminino teve início há mais de uma década, quando engravidou e logo passou a conduzir um trabalho singular de autoconhecimento feminino, auxiliando as mulheres a seguir em direção à própria potência e autonomia. Agora vem a potência feminina.

Como coaching e facilitadora de processos de empoderamento feminino, orienta as clientes de diferentes gerações para que conquistem mais clareza sobre os próprios sonhos, talentos, desejos, desafios e medos – com o objetivo de ajudá-las a ganhar intimidade com as suas máscaras, conduzindo-as em um trabalho de intimidade com corpo. Com isso, elas fazem um trabalho de alquimia nas couraças para conquistar a liberdade e a potência feminina. Para reverberar os conhecimentos com um público maior, a paulista está lançando o livro Natureza Íntima – Fendas de uma Mulherpela Primavera Editorial.

Graduada em Administração e Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Maria Barretto atuou em organizações não governamentais de referência no Brasil e exterior. Como pesquisadora, viajou por todo o país, conhecendo as diferentes realidades sociais; em uma temporada de estudos em Londres se aprofundou nos temas sustentabilidades e branding. Uma crise de estresse, em 2008, a fez repensar a vida e a impulsionou a visitar a Indochina – viagem que a convidou a olhar para dentro, a sentir e escutar mais profundamente a voz da alma. “Eu estava em um momento de matar algo dentro de mim, de esvaziar, deixar morrer um padrão de relações e a forma de trabalhar para que o novo pudesse emergir. E assim foi”, detalha Maria, cuja atuação profissional é produto de uma vivência intensa, legítima e genuína.

O estudo do sagrado feminino – filosofia que promove a consciência sobre os aspectos espirituais, mentais, emocionais e físicos das mulheres; que fala sobre as forças e capacidades; que estimula a conexão com a intuição e a natureza – consolidou essa nova direção profissional singular. A experiência da maternidade a aproximou ainda mais do feminino e a auxiliou a desenvolver uma metodologia de trabalho para que possa ser um apoio para mulheres que passam por dilemas ou momentos de transformação e transição: ter ou não filhos; casar ou não; permanecer ou não com o marido; mudar de carreira ou mantê-la; fazer as pazes com os pais e/ou consigo; abdicar do papel de vítima; e a refletir sobre as próprias patologias, como pólipos, miomas e endometriose.

O próprio processo como mulher e curandeira em um constante movimento de transformação a inspirou a escrever Natureza Íntima, sobretudo após vivenciar o terceiro puerpério. “Esse livro propõe uma reflexão sobre a minha própria jornada e as ferramentas que escolhi para torná-la mais profunda e autêntica. Tudo o que tenho para compartilhar é fruto, em primeiro lugar, da minha própria experiência como mulher e dos processos que vivi como meninas, filha, amante, mãe, esposa, amiga, curandeira e profissional. Também é uma mistura de estudos que aprofundei com diferentes mestres, de linhagens distintas, do coaching tradicional com base na Antroposofia às medicinas ancestrais e ao xamanismo indígena. Reuni conhecimentos técnicos e científicos como aprendizado empírico e sabedorias tradicionais e holísticas”, detalha a autora.

TRECHOS DA OBRA |

Páginas 8 e 9

“(…) A crença que me guia é a de que cada mulher tem a sua

sabedoria e potencial para tecer a própria realidade a partir dos seus

sonhos e propósitos mais profundos. Somos todas curandeiras e

senhoras dos nossos destinos, ainda que hoje a criação e a educação

da maioria de nós não nos ensinem a entrar em contato com essa nossa mulher,

com a nossa potência feminina, com nossos ventres e nosso sangue.”

 Página 24

“(…) Toda mulher é cíclica. Resgatar essa consciência é o primeiro passo para

(re)descobrirmos o nosso poder e usufruirmos da potência de sermos mulheres, ou seja,

de termos uma intuição apurada, de podermos germinar, parir e nutrir uma vida. Quando me refiro à potência da mulher estou falando da nossa capacidade de criar e de nos transformar.”

Página 45

“(…) O que gosto de explicar é que ninguém é apenas Afrodite, a deusa do Amor,

nem apenas Ártemis, a deusa donzela da Caça, que nunca se casou e vagava

independente pelas florestas. Nem mesmo Héstia, a deusa do Fogo, o centro

do lar que representa o centramento, o silêncio interior e exterior… Hoje, estou

Afrodite, amanhã posso estar Héstia.”

 Página 65

“(…) É a temida TPM. Brinco com essa sigla, dizendo que em vez de

tensão pré-menstrual posso ter Tempo Para Mim.”

 Página 121

“(…) Sexo não é somente algo que você faz. É um lugar para onde podemos ir, um espaço que podemos habitar dentro de nós, sozinhas ou com o outro.”

 Página135

“(…) Não faz sentido enxergar masculino e feminino como forças independentes ou avulsas. A potência está na sua interação. Não devemos olhar de maneira isolada, sim, como um pêndulo, que passa de um extremo ao outro.”

 

FICHA TÉCNICA |

Título: Natureza Íntima 

Autora:  Maria Barretto

Categoria: Não ficção; Autoconhecimento.

Páginas:  360

Preço sugerido: R$ 44,90

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE