Lentes de contato no e-commerce: crescimento e cuidados

Inúmeros são os mercados que têm expandido sua atuação no Brasil, impulsionados pelo crescimento do e-commerce. Um exemplo, talvez inusitado, é o segmento de lentes de contato, que já movimenta R$ 400 milhões por ano no País, com as compras online representando 12% desse valor. Tal crescimento pode ser justificado pelos benefícios e praticidade da compra remota, especialmente para quem vive em locais sem estabelecimentos especializados em determinados produtos. 
Dados da E-Lens, empresa líder em venda de lentes de contato e acessórios relacionados pela internet, apontam que, nesse ramo específico, a maioria dos compradores online é composta por mulheres, que correspondem a 65% do mercado, aproximadamente. Quando falamos de idade, o público entre 18 e 44 anos corresponde a 88% do mercado; e 41% encontram-se na faixa entre os 25 e 35 anos. 
Ao considerarmos a localização geográfica, o Estado com maior participação no mercado de compras de lentes online é São Paulo (32%), seguido por Minas Gerais e Rio de Janeiro, que retêm 11% da fatia do mercado. Também são expressivos os números na Região Sul do Brasil: Rio Grande do Sul e Paraná concentram, cada um, cerca de 7% dos consumidores nacionais.
Com o crescimento constante da aquisição de lentes pela internet, faz-se necessário lembrar aos compradores que, assim como em qualquer outro procedimento de compra online, alguns cuidados devem ser tomados – e com atenção redobrada, já que estamos falando de produtos relacionados à saúde. Nesse sentido, é importante ficar atento às orientações de médicos especialistas no segmento quanto às precauções. 
O professor-adjunto de Oftalmologia da Escola de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, André Aguiar Oliveira, salienta que os pacientes devem adquirir lentes na internet apenas como reposição, seguindo a receita original, e fazer o controle frequente com o oftalmologista, que também definirá se a pessoa pode ou não usá-las, e por quantas horas diárias.  Dra. Luciane Moreira, professora da Universidade Federal do Paraná, ressalta que a utilização equivocada pode gerar problemas, inclusive nas córneas. Segundo ela, os exames devem ser realizados a cada seis ou oito meses.
Neste ano de 2017, o e-commerce das lentes de contato deverá crescer 10%, fazendo-se ainda mais necessária a educação dos compradores quanto aos cuidados recomendados pelos médicos oftalmologistas. Para as operações de compra, a internet proporciona muitas facilidades e segurança para os consumidores brasileiros. Dessa maneira, não será por falta de opções seguras, confiáveis e eficazes de lojas virtuais que os brasileiros, por mais distante que seja seu local de moradia, ficarão sem lentes de contato para reposição.    
*Alessandra Giner é CEO do Pagar.me, empresa de tecnologia Provedora de Serviços de Pagamentos.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE