Leitinho recebe comunidade leta e debate legado

Nesta quinta-feira (20), a poucos dias do aniversário de Nova Odessa, o prefeito Claudio José Schooder, o Leitinho, recebeu em seu gabinete representantes da comunidade leta local para discutir formas de valorizar a influência cultural que os imigrantes sempre exerceram no município, desde que chegaram aqui no início do século 20. Nova Odessa completa 116 anos de fundação do Núcleo Colonial na próxima segunda-feira, dia 24 de maio.

Estiveram presentes a presidente da ALASC (Associação Leta da América do Sul e Caribe), Renate de Carvalho Albrecht, a representante da ABCL (Associação Brasileira de Cultura Leta) Liliana Mimka e os membros da comunidade Laima Lavans e Lucas Stepanow Ekisteinas. Eles foram acompanhados pela assessora jurídica da ABCL, Priscila Peterlevitz.

Na conversa, o prefeito apresentou aos visitantes seus planos, ainda em fase de estudos pela Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, de resgatar as tradições da cultura leta e incorporar esses elementos no mobiliário urbano da cidade. “A arquitetura, a gastronomia e as festas típicas da Letônia estão ligadas às raízes de Nova Odessa e estamos procurando formas de disseminar essa parte de nossa história para as gerações futuras”, afirmou.

A representante da ABCL explicou que o objetivo da associação é preservar a cultura leta e a história dos letos no Brasil. “Queremos ajudar nossos jovens a conhecerem suas raízes e promover a união da comunidade. Para isso, trabalhamos com diversas entidades e grupos locais”, explicou ela.

Entenda a história

Os imigrantes letos deixaram a Letônia, seu país de origem, a partir do final do século XIX, em busca de terras agriculturáveis – inclusive no Brasil. Constituíram comunidades em várias localidades do país, entre elas Nova Odessa, São Paulo, Varpa (distrito de Tupã/SP), Monte Verde/MG, Curitiba/PR, Florinópolis/SC e Ijuí/RS. De acordo com a presidente da ALASC, Nova Odessa tem hoje a maior comunidade leta do Brasil. “São cerca de 2 mil integrantes, sendo 400 deles ativos” afirmou.

Ainda hoje, a cultura deixada pelos primeiros letos é mantida por muitos moradores do município – basta lembrar de pontos turísticos e históricos como a 1ª Igreja Batista da Fazenda Velha e a tradicional barraca da Letônia na Festa das Nações e seu galeto, sério candidato a prato típico da própria cidade de Nova Odessa.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE