Lançamento do livro Bolinhas de Sabão em AM

Um menino que precisa de ajuda para encontrar novas maneiras de enfrentar seus problemas é o enredo de Bolhinha de sabão, obra de Luciene Tognetta pelo selo Adonis, e que será lançado neste domingo, dia 09 de abril, às 10h, durante o Leitura com Pipoca, no quiosque Adonis, em Americana.

A atividade é gratuita, para todas as idades, e acontece no Parque Ecológico Municipal de Americana. Durante as duas horas do projeto, a programação conta com a participação dos  contadores de histórias Vanderson e Vanessa Aranha, da escritora Luciene Tognetta, do ilustrador Paulo R. Masserani, atividade de bolhinha de sabão com os participantes, sorteio de exemplares da obra e distribuição de pipocas gratuita.
Bolhinhas de sabão é o segundo livro sem texto publicado numa parceria entre Luciene Tognetta e Paulo R. Masserani. A proposta é atender aos leitores que ainda não leem e, ainda, motiva-los a construir sua própria história. “Publicar um livro sem texto significa dar ao leitor a oportunidade de imaginar tanto o contexto do conflito como as possibilidades de intervenção. Bolhinha de sabão oferece a oportunidade do leitor reinventar a história. Portanto, é um livro de 0 a 99 anos”, explica Luciene Tognetta.
Bolhinha de sabão, mesmo sem texto, conduz o leitor à história de um menino que tinha um problema: como garantir que suas bolhinhas de sabão não estourassem? A brincadeira dos outros meninos era estourar as bolhinhas dele, que tentava, a todo custo, salvar suas bolinhas da destruição e escondê-las do grupo que sempre voltava para destruí-las. Uma história assistida de longe por outro menino que se comove com tamanha persistência.
 “Esse novo livro, Bolhinha de sabão, que chega para integrar a série Convivência, mostra que o sujeito que precisa de ajuda também pode ser ajudado por quem observa. E essa ajuda não necessariamente significa enfrentar os valentões, significa se aproximar daquele que sofre para fortalecê-lo”, explica Luciene,  que é Professora do Departamento de Psicologia da Educação da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp – Campus de Araraquara e é líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral ??? Unesp/Unicamp (GEPEM).
Luciene Tognetta, como pesquisadora e especialista em Educação Moral, traz a questão das equipes de ajuda como pano de fundo de seu livro. Pioneiramente, propostas por José Maria Martínez Avilés e implementadas em escolas na Espanha, as equipes de ajuda são uma forma de protagonismo infantojuvenil que se constituem em grupos de alunos que se dedicam a ajudar quem precisa de apoio, solidariedade e respeito por ter sido intimidado por alguém “A ajuda vem de alguém que é o espectador no sentido de fortalecê-lo, de estar com ele, de reconhecer sua dor. Esse é o trabalho das equipes de ajuda. As equipes de ajuda no Brasil existem há pouco tempo, mas é um tipo de estratégia que temos analisado e que pesquisas têm se mostrado eficientes para os casos de bullying, exatamente porque quem intervém são os próprios espectadores, ou seja, os pares dos que sofrem”, explica Luciene.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE