Jr. Dias discute falta d’água no pós-Anhanguera com Omar e DAE

O vereador Juninho Dias solicitou uma reunião com o prefeito Omar Najar e os representantes do DAE para discutir a questão da falta d???água na região do pós-Anhanguera. O encontro aconteceu na tarde desta quarta-feira (5).

Forte representante da região afetada, Juninho levou uma série de questionamentos até o poder executivo e cobrou soluções urgentes para o problema, que é decorrente de muitos anos. Durante a reunião, o prefeito Omar Najar se mostrou bastante empenhado e exigiu total atenção do setor responsável.

???Toda a parte do DAE daquela região foi abandonada. Por mais de 20 anos aqueles bairros tiveram grande crescimento e nenhuma melhoria foi realizada. A adutora era pra ter sido trocada nos anos 90???, enfatizou o prefeito.

Segundo o DAE, a mesma tubulação abastece todos os bairros da região e também o São Vito. Nos problemas ocorridos em qualquer dos bairros do pós-Anhanguera, todos os outros interligados pela mesma adutora são afetados.

????? um problema que a população do pós-anhanguera sofre há muitos anos. Realmente nenhuma melhoria foi realizada para a demanda da região do pós-Anhanguera, que cresceu de forma rápida ao longo desses anos, todo o sistema que há hoje não é suficiente para a quantidade de pessoas???, disse Juninho Dias.

Uma das soluções que a prefeitura já está trabalhando é a implantação de uma caixa de controle para ???separar??? o abastecimento desses bairros. A previsão para a instalação é o primeiro trimestre de 2019.

???Com essa caixa de controle, quando houver uma ocorrência em algum dos bairros do pós-Anhanguera, eles vão conseguir ???isolar??? o problema para que não afete os outros bairros, como acontece hoje???, disse Juninho Dias.

Ainda de acordo com o DAE, as causas da falta d???água na região do pós-anhanguera são os frequentes rompimentos na adutora, a falta de capacidade dos reservatórios devido ao grande crescimento da população, a falta de investimentos ao longo dos anos para acompanhar a demanda e quedas de energia.    

A prefeitura já está trabalhando nos estudos para a troca da adutora que abastece a região, a primeira fase da obra está avaliada em R$18 milhões, e a obra total em aproximadamente R$39 milhões. A questão dos novos reservatórios também está inclusa nos estudos.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE