Jesus quer saber da ressonância e Eliel mais pro consignado

O vereador Valdenor Jesus (Avante), protocolou, hoje (12), o Requerimento 406/2021, por meio do qual pede informações a respeito dos exames de ressonância magnética realizados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em Santa Bárbara d’Oeste. O parlamentar afirma ter recebido diversas queixas de munícipes sobre a demora para a realização desse exame, muitos dos quais aguardam há mais de um ano na fila.

No requerimento, Jesus questiona o atual número de ressonâncias magnéticas a serem realizadas no Município e pede que a Prefeitura apresente a lista de pacientes à espera desse exame. Ele pergunta, ainda, o número de procedimentos realizados por mês para pacientes de Santa Bárbara d’Oeste e, desse total, quantos são efetuados em outras cidades. Jesus também pergunta se o Município possui convênio com clínicas particulares e pede que a Prefeitura preste informações sobre essas contratações, incluindo valor pago por exame e notas fiscais digitalizadas desse serviço. Por fim, o parlamentar questiona se a Prefeitura possui aparelhos de ressonância magnética, quantos e em qual estado, para saber se estão funcionando efetivamente.

ELIEL QUER MAIS MARGEM PRO CONSIGNADO

Depois de ser procurado por diferentes funcionários públicos, o vereador Eliel Miranda (PSD) protocolou, hoje (12), moção de apelo ao Poder Executivo, para que sejam realizados estudos quanto à possibilidade de aumento na margem de empréstimos consignados para os servidores municipais de Santa Bárbara d’Oeste. O parlamentar destaca que esse aumento já é permitido pela Lei Federal 14.131/2021, que prevê, até dezembro deste ano, acréscimo de 5% ao percentual máximo para contratação de operações de crédito com desconto automático em folha de pagamento.

“O empréstimo consignado é aquele voltado para aposentados, pensionistas e servidores públicos, que possui menores taxas de juros, por ser descontado diretamente da folha de pagamento, com baixa probabilidade de inadimplência”, explicou Eliel. O vereador destaca, também, que a lei federal ampliou de 35% para 40% a margem consignável até 31 de dezembro, em razão da pandemia do novo coronavírus, sendo possível, portanto, apenas por período determinado. No entanto, esses 5% serão destinados exclusivamente para amortização de despesas contraídas por meio de cartão de crédito ou utilização com finalidade de saque por meio do cartão de crédito.

“De acordo com o inciso IV, do parágrafo único do artigo 1º dessa lei, a nova margem de empréstimo consignado seria aplicável a qualquer ente da Federação, o que incluiria nossos servidores municipais”, afirmou Eliel. No entanto, para evitar questionamentos e interpretações diversas, o parlamentar entende que a melhor forma de garantir aos funcionários do Município a ampliação do limite para empréstimo consignado seria a previsão semelhante por lei municipal, cuja iniciativa cabe ao prefeito.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE