Grana – Mude seu alvo não sua forma de atirar

Em artigo anterior (https://www.novomomento.com.br/Economia/65556/a-verdadeira-simpatia-para-suas-financas—e-nao-e-magia) tentei mostrar como simpatias e mandingas possuem efeito zero sobre as suas finanças. Mais do que números, índices e taxas de juros, o seu comportamento pode ser o seu mais poderoso assistente para ter pelo menos a paz financeira em sua vida, reduzindo um dos problemas.
O comportamento é algo muito difícil de mudar. Hábitos arraigados há anos dificilmente são superados. Sempre retornam. Então, mais que mudar o comportamento, um caminho pode ser a mudança do objeto do comportamento. Objeto? Explico adiante, mas vou contar outra história, com cara de autoajuda. Há muito tempo atrás li um texto sobre um garoto que não possuía um braço e foi treinar alguma arte marcial. O seu instrutor, como todos, perceberam que ele tinha esta deficiência. Durante muito tempo treinou o seu aluno em um determinado tipo de golpe, mesmo o aluno mencionando que já estava exausto de tal treino. Um dia, o aluno foi inscrito num campeonato e acabou por se tornar campeão. Um feito para um atleta com somente um braço. Perguntado, o instrutor contou que treinou o aluno com um golpe em que o contragolpe exigia do adversário agarrar um dos seus braços, que no seu caso, faltava. Assim, o instrutor tornou impossível a defesa para o golpe vencedor do aluno, fazendo com que este vencesse todas as suas lutas. Pronto! Historinha contada, mas qual a relação com as finanças e o seu comportamento com elas. Há relação é simples! ?? a utilização de uma desvantagem como algo favorável para você. Portanto, vamos a outra história, desta vez verdadeira. Foi-me contada por um colega de trabalho aposentado. Sua família e ele, em algum momento da vida, tiveram um ótimo padrão de vida, tendo renda para comprar a maioria das coisas que todos desejam. Como tudo na vida, a farra não durou para sempre e eles passaram por dificuldades. Depois de algum tempo, conseguiu se livrar das contas mas continuou com os péssimos hábitos antigos. Tentando se livrar do vício do consumismo que ele havia adquirido, ele percebeu que era inútil lutar contra o hábito mas também percebeu que ele poderia alterar o objeto do mau comportamento. Qual objeto? Ao invés de gastar em qualquer coisa, ele me explicou que passou a ???gastar??? em poupança, isto é, começou a direcionar sua obsessão para ativos, isto é, para instrumentos financeiros que lhe pagavam juros. Ele passou a ???comprar??? e ???gastar??? em CDBs, ações, fundos de investimento, etc. Segundo este colega, isto trouxe uma estabilidade financeira, que lhe permitiu passar por outros momentos complicados em sua vida com mais tranquilidade. Segundo este amigo, ele nunca deixou de ser perdulário mas como alterou o objeto dos seus gastos, pode usufruir uma vida financeira menos atribulada.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE