Gov Bill culpa ministério por falta de vacina

A prefeitura de Nova Odessa acusa demora no envio de vacinas pelo Ministério da Saúde. O resultado é a suspensão ou alteração na forma de imunização de nove doenças na cidade. Segundo a Secretaria de Saúde do município, a responsabilidade para envio dos medicamentos é do governo federal, que alegou que o problema teria ocorrido na produção dos laboratórios. Não há prazo para que a situação seja regularizada.
Secretário de Saúde de Nova Odessa, Sérgio Molina confirmou o desabastecimento, mas disse que não é preciso alarde da população. “Dependemos do governo federal para o envio das vacinas e, como segundo eles trata-se de um problema junto aos laboratórios, também não temos como comprar ou substituir estes medicamentos”, disse. “Já tomamos uma série de providências para minimizar ao máximo os reflexos deste atraso”, complementou, ressaltando que trata-se de um problema que atinge todo País.
“Vale esclarecer que este não é um problema apenas em Nova Odessa. Nas cidades vizinhas, no Estado e em todo o Brasil está sendo registrada a falta de determinadas vacinas”, explicou.
Coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Paula Mestriner afirmou que estão em falta ou com doses reduzidas as vacinas para Hepatite A, Hepatite B, raiva, tetraviral (Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela), varicela monovalente (Catapora), BCG (Tuberculose), dupla adulto(Tétano), DTP (Difteria, Tétano e Coqueluche) e DTPa- CRIE. Ela reforçou que algumas medidas foram tomadas junto às UBSs (Unidades Básicas de Saúde) para minimizar a situação (confira no quadro abaixo).
Paula destacou ainda que a não transmissão da maioria das doenças também está relacionada às questões sanitárias. “A Hepatite A, por exemplo, também é prevenida através de instalações sanitárias corretas, como o tratamento de água e esgoto. Nova Odessa está em uma região privilegiada, onde não temos a transmissão dessa doença”, disse.

A coordenadora reafirmou que ainda não existe um prazo para que a situação seja normalizada e ressaltou que todas as equipes das UBSs e Vigilância estão sendo orientadas sobre como proceder. “Vamos continuar atendendo nossa população, orientando e esclarecendo as dúvidas”, afirmou. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE