Fundos imobiliários: apenas sete fundos tiveram valorização em 2020

O setor imobiliário foi um dos mais afetados pela pandemia. Consequentemente, seus fundos apresentaram grande queda em 2020. Dos dos 120 fundos imobiliários (FIIs) que fazem parte do IFIX (popularmente conhecido como o “Ibovespa dos fundos imobiliários”), apenas sete tiveram valorização no YTD (year-to-date), ou seja, no período entre 01/01 e 13/07. É o que aponta levantamento realizado pelo Yubb (https://yubb.com.br/), maior buscador de investimentos do país.

Confira o ranking completo das maiores altas dos fundos que compõem o IFIX:

Posição Empresa Ticker Rentabilidade
1 Caixa Rio Bravo CXRI11 15,10%
2 Hospital Nossa Senhora de Lourdes NSLU11 10,58%
3 BB Renda Corporativa BBRC11 8,12%
4 JHSF Rio Bravo Fazenda Boa Vista Capital Protegido RBBV11 5,34%
5 Green Towers GTWR11 1,46%
6 VBI FL 4440 FVBI11 1,35%
7 CSHG GR Louveira GRLV11 1,32%
8 Capitania Reit FoF CPFF11 0%
9 CSHG Prime Offices HGPO11 -3,88%
10 RB Capital Renda I FIIP11B -3,59%

“É importante lembrar que as quedas estavam muito mais acentuadas em fevereiro e março. Em abril, o IFIX apresentou valorização de 4,39%; em maio, de 2,08%; e em junho, de 5,59%”, explica Bernardo Pascowitch, fundador do Yubb. “Será que veremos em julho mais um resultado positivo? É importante lembrar que, no YTD, o índice acumula uma queda de -14,17%”.

Na análise por setores, os fundos de fundos, também conhecidos como FOFs (fund of funds), se destacaram. É o caso do Caixa Rio Bravo, que ocupa o 1º lugar no ranking, com rentabilidade em 15,10%, e do Capitania Reit FoF (8º lugar, 0%). “Como esses são fundos imobiliários que investem em outros fundos imobiliários, contam com um fator de diversificação, o que torna mais fácil minimizar os riscos”, detalha Pascowitch.

O levantamento também listou as maiores quedas no mesmo período:

Posição Empresa Ticker Rentabilidade
1 TRX Edifícios Corporativos XTED11 -51,20%
2 Edifício Galeria EDGA11 -42,87%
3 Kiena II Real Estate Equity KRNE11 -39,61%
4 General Shopping e Outlets do Brasil GSFI11 -39,43%
5 Edifício Almirante Barroso FAMB11 -38,98%
6 Rio Bravo IFIX RBFF11 -38,42%
7 Pátria Edifícios Corporativos PATC11 -37,44%
8 Hotel Maxivest HTMX11 -37,06%
9 SP Downtown SPTW11 -35,62%
10 BB Progressivo BBFI11B -35,61%

Na liderança, a TRX Edifícios Corporativos representa um dos setores mais afetados: as lajes corporativas. “As lajes corporativas sempre foram um dos favoritos entre os brasileiros que gostam de investir em fundos imobiliários. São grandes empresas que alugam grandes prédios para trabalhar, o que era um ótimo negócio até o coronavírus chegar”, pontua Bernardo.

Com a crise, a maioria das empresas instituiu o home office e começou a renegociar seus espaços físicos. Isso já fez com que houvesse perda de atratividade e queda na rentabilidade. “Hoje, muitas instituições estão prorrogando o home office até 2021 ou, até mesmo, fechando seus escritórios e viabilizando essa nova estrutura estrutura de trabalho de modo permanente, o que afeta ainda mais o setor”, conclui.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE