Fundo Social retoma projeto ‘Visão’ com novos parceiros

O Fundo Social de Solidariedade de Nova Odessa está retomando o projeto “Visão”, realizado junto da Secretaria de Educação. A iniciativa proporciona testes de acuidade visual para identificar precocemente problemas em crianças das fases 1 e 2 da Educação Infantil da Rede Municipal de Ensino. Através de novos parceiros, a ação incluirá exames detalhados e a doação de armações e lentes para as crianças que tiverem constatadas dificuldades na visão.

O prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza recebeu nesta quarta-feira (3) em seu gabinete o médico oftalmologista João Romano, de Americana, junto da primeira-dama e presidente do Fundo Social do município, Andréa Souza. Foram apresentados os detalhes da nova etapa do projeto, que continua contando com as ??ticas Diniz e agora tem a parceria da empresa Zeiss, fabricante de lentes de óculos.

“O projeto foi ampliado. Agora é tudo gratuito, com as crianças diagnosticadas com problemas visuais recebendo gratuitamente a armação e as lentes dos óculos”, destaca o Prefeito Bill. A ideia é reiniciar a ação ainda este ano, com a triagem nas escolas ocorrendo em breve e na sequência o encaminhamento para exames detalhados na Clínica de Olhos Romano, em Americana, provavelmente aos sábados.

“?? um trabalho totalmente social e importante, envolvendo várias partes de um mesmo processo, para ajudar as crianças que precisam de óculos e são de famílias com dificuldade financeira”, ressalta Andréa Souza. “?? fundamental diagnosticar no início e evitar problemas maiores. Não apenas trazendo benefício para o aprendizado em aula, mas dando maior qualidade para a vida toda dessas crianças”, reforça.

Nascido em Nova Odessa, João Baptista de Oliveira Romano Junior há décadas é um dos expoentes da Oftalmologia em Americana. O mais velho de quatro irmãos, ele tem ainda dois dos três filhos oftalmologistas. “A ideia é dar mais qualidade e conforto às crianças do projeto, com os equipamentos altamente especializados da clínica”, defende. “?? uma prestação de serviços sem fins lucrativos”, frisa o médico.

O público-alvo é de aproximadamente 1.200 crianças, entre 4 e 6 anos. O profissional vai analisar questões como causas possíveis de baixa visão e doenças visuais que porventura algumas já tenham ou possam desenvolver. Entre elas a ambliopia, também conhecida como “olho preguiçoso”, que é a diminuição da capacidade visual que ocorre, principalmente, pela falta de estímulo em um dos olhos.

Em 2016, a triagem realizada apontou 280 crianças com algum tipo de alteração nas vistas. Entretanto, a maioria com 0,5 grau, o quê necessita de análise mais detalhada para saber da real necessidade de usar óculos. Na época, houve a distribuição de mais de 100 armações às famílias, que recebiam uma lista com as óticas que concediam desconto na aquisição das lentes. Agora, será tudo gratuito.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE