Fotógrafo muda foco na pandemia e aposta em empório mineiro

A pandemia da Covid-19 mudou a vida de muitos brasileiros. Alguns perderam o emprego, outros foram obrigados a fechar seus negócios e, uma grande fatia dos trabalhadores, mudaram de ramo. É neste último quesito que se encaixa o fotógrafo Flávio Oliveira, 37, de Americana.

Com décadas de fotografia, o profissional já passou por várias redações de jornais da região como repórter fotográfico e teve imagens publicadas nos principais jornais do País, como O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo e Lance (diário esportivo).

Em 2016, inaugurou uma empresa especializada em fotografia escolar. Os negócios iam bem. Oliveira atendia 16 escolas nos estados de São Paulo e Minas Gerais. “A empresa é especializada em álbuns de fotografia escolar. Com a chegada da pandemia e o consequente cancelamento das aulas presenciais, o mercado parou”, lembra o fotógrafo.

Além dos álbuns, explica ele, as formaturas também eram uma fonte de renda importante, cuja realização também foi comprometida com a pandemia. “Foi um momento complicado. A empresa estava se consolidando muito bem no mercado. Mas não teve jeito e tive que mudar o rumo”, afirma Oliveira.

A VIRADA

Após dois meses de pandemia, ele não teve dúvidas: preciso mudar de ramo. Recolheu as economias que sobraram, foi até o Sul de Minas Gerais e lotou o porta-malas do carro de delícias.

Cachaças, Doce de leite, Beliscões de Goiaba, Queijos variados, entre outras delícias, começaram a ser oferecidas em um primeiro momento a amigos e, posteriormente, no famoso “porta à porta”.

“Eu não tinha nenhuma experiência com produtos de Minas, mas sei vender. Foi aí que arrisquei e não me arrependo”, diz. De acordo com ele, a demanda começou a aumentar cada vez mais no decorrer dos meses e, então, foi o momento de crescer.

EMPÓRIO TREM BÃO

Em dezembro do ano passado, explica o fotógrafo com orgulho, nasceu o Empório Trem Bão. Junto à esposa e ao casal de amigo Eliana e André Forato (sócios na empresa), eles iniciaram as atividades no bairro Jaguari . “Estamos indo muito bem. A cada mês novos produtos são incluídos. Hoje temos 400 itens à disposição dos clientes”, afirma.

Apesar do sucesso na nova empreitada, Oliveira torce pelo fim da pandemia para voltar a fotografar. “O próximo desafio será conciliar os dois trabalhos”, ressalta ele.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE