‘Ficante’ de Daniel foi coagida a limpar sangue e ameaçada

Os advogados de Evellyn Brisola Perusso, de 19 anos, reagiram com “espanto” ao saber que sua cliente foi denunciada pelo Ministério Público do Paraná no caso do jogador Daniel Corrêa, morto em outubro. Amiga de Allana Brittes, Evellyn “ficou” com Daniel antes do crime e teria ajudado a limpar o sangue do jogador, o que configuraria crime de fraude processual.
Ela também foi denunciada também por: falso testemunho, porque teria mentido em seu depoimento à polícia; denunciação caluniosa, porque a mentira teria gerado abertura de processo contra outra pessoa; e corrupção de menores, porque teria induzido uma das convidadas da festa, menor de idade, a praticar um delito.

De acordo com Luis Zagonel, advogado de defesa, Evellyn é inocente de todas as acusações. “Ela foi coagida a estar na residência e coagida a limpar o sangue. Tanto ela foi coagida que as pessoas foram indiciadas por coação a testemunhas, incluindo ela???. Segundo o inquérito, ela estava no grupo que limpou os vestígios do crime na casa onde o jogador foi espancado.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE