Feira tech acusada de machismo ao barrar vibrador feito por mulheres

Não só de inovações e tecnologia vive uma das maiores feiras
de eletrônicos do mundo, a Consumer Electronics Show (CES) 2019 de Las Vegas,
nos Estados Unidos, que ocorre até sexta-feira (11). Nesta semana, uma polêmica
envolvendo questões de sexismo saiu dos bastidores para a web: a organizadora
do evento, a Consumer Technology Association (CTA), premiou uma startup pela
criação de um vibrador de massagem pessoal, o Osé. A questão é que, um mês depois, retirou a condecoração. Tudo veio à tona por um relato de Lora Haddock, CEO da empresa Lora DiCarlo, que postou uma carta aberta no site da companhia na terça-feira (8). Na postagem, Lora relata que inscreveu o aparelho criado por engenheiras e que ela e sua equipe ficaram muito felizes quando foram comunicadas que tinham recebido o Prêmio Honorário para Produtos de Robótica ou Drones. A empresária acredita que o prêmio foi retirado por machismo. 
(Com informações do Zero Hora)

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE