Edit

ETEC fica em 3º na Mostra da 3M

Alunos da ETEC (Escola Técnica Estadual) Ferrucio Humberto Gazzetta, de Nova Odessa, conquistaram o terceiro lugar na categoria Engenharia da 9ª Mostra de Ciências e Tecnologia Instituto 3M. O grupo de estudantes criou um software (programa de computador) para facilitar a vida de portadores de deficiência auditiva nas aulas e reuniões online. A plataforma traduz o áudio dos encontros virtuais para legendas e para a Libras (Língua Brasileira de Sinais).

A Mostra, realizada no mês de novembro, é disputada por alunos dos Ensinos Fundamental, Médio e Técnico da Região Metropolitana de Campinas e de Ribeirão Preto.

A Etec de Nova Odessa também faturou o Prêmio Escola Pioneira, no valor de R$ 20 mil, na forma de bens duráveis, bens de consumo ou prestação de serviços. A iniciativa tem por objetivo incentivar o desenvolvimento e a disseminação de práticas educativas de sucesso por meio de projetos de ciências investigativas.

Os estudantes que participaram do projeto são Arthur de Sousa, Eduardo Longhi, Henrique Eusébio, sob a coordenação e supervisão da orientadora Simone Lacerda e do coorientador, Lucas Parizotto.

O segundo lugar da categoria de Engenharia ficou para o Colégio Técnico de Campinas, vinculado à Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que criou um aplicativo educacional interativo, chamado Helply, para ajudar os estudantes de forma rápida e imediata.

E o primeiro lugar foi para os estudantes do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo), do campus de Campinas. O grupo desenvolveu uma célula 3D com tecnologia RFID (Identificação por Radiofrequência), que ajuda a capturar dados individualmente e automaticamente, para identificação de objetos com dispositivos eletrônicos acoplados, além de registrar informações técnicas e permitir o seu rastreamento, recuperando e armazenando dados remotamente.

ETECS

Na Mostra, as ETECS se destacaram nas premiações. A Etec Professor Dr. José Dagnoni, de Santa Bárbara d’Oeste, ganhou o primeiro lugar na categoria Ciências Biológicas. O grupo desenvolveu uma esponja de lavar louça biodegradável feita a partir da casca e da coroa do abacaxi para substituir as de material sintético altamente poluente. Além da primeira colocação, o projeto ganhou classificação direta para a próxima edição da Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia).

Já os alunos da Etec Bento Quirino, de Campinas, ficaram com o segundo lugar em Ciências da Saúde com um andador para auxiliar crianças com deficiência visual. Os sensores instalados no equipamento identificam obstáculos, avisam os pais do perigo por alarme sonoro e alertas via celular. Uma outra funcionalidade é o travamento automático das rodas do veículo para preservar a segurança da criança. As Etecs de Hortolândia e Rosa Perrone Scavone, de Itatiba, também classificaram projetos entre os mais de 100 finalistas

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE