Esther cobra ‘lista da vacina’ e Fontes pede novo cemitério

A vereadora Esther Moraes (PL) pretende notificar o Ministério Público de Santa Bárbara d’Oeste e a Procuradoria-Geral de Justiça do Estado de São Paulo a respeito do descumprimento da Lei Municipal 4207/2021, de autoria dela, que dispõe sobre a obrigatoriedade da publicação diária de lista de todos os vacinados contra Covid-19 no Município. Promulgada no início de março, essa lei ainda não foi colocada em prática.

Esther foi informada nesta tarde do arquivamento pela promotora Teresa de Almeida Prado Franceschi, da Procuradoria-Geral de Justiça do Estado, de representação do Ministério Público local, pedindo a análise da constitucionalidade da referida lei. Devido ao arquivamento, não haverá Ação Direta de Inconstitucionalidade por parte do MP. Para a Procuradoria-Geral, dado a excepcionalidade da situação trazida pela pandemia da Covid-19, não há ofensa aos direitos fundamentais da privacidade e da inviolabilidade de dados, previstos na Constituição Federal.

“Recebi hoje o parecer da Procuradoria-Geral de Justiça com relação à constitucionalidade da lei que obriga o Município a divulgar a lista de vacinados. Esse parecer só comprovou que estamos do lado certo, respeitando os limites impostos ao cargo que ocupo”, afirmou Esther. A parlamentar ressalta que essa norma cumpre o princípio da publicidade administrativa, exigindo transparência a todos os atos governamentais e resguardando o direito à informação para todos os cidadãos.

Fontes pede construção de novo cemitério municipal

Foi aprovado por unanimidade, nesta semana, o Requerimento 585/2021, de autoria do vereador Carlos Fontes (PSL), por meio do qual o parlamentar pede informações a respeito da construção de novo cemitério municipal em Santa Bárbara d’Oeste. Na propositura, o vereador destaca que o município conta com mais de 200 mil habitantes e apenas dois cemitérios municipais, os quais já teriam atingido suas capacidades máximas.

Carlos Fontes também destaca que, no único cemitério particular existente no município, o menor valor para uma sepultura, com duas gavetas, é de R$ 5,1 mil, muito acima da capacidade de pagamento para grande parte das famílias. “Na cidade de Americana, por exemplo, as pessoas adquirem uma sepultura por concessão, a título perpétuo, por R$ 305. No caso do sepultamento e velório, o custo para o munícipe é de R$ 348”, afirmou.

No requerimento, Carlos Fontes questiona se a Prefeitura tem projeto para um novo cemitério municipal em Santa Bárbara d’Oeste. Em caso afirmativo, ele pergunta como está o andamento deste projeto e onde será localizado esse novo cemitério. O parlamentar também é indaga se é possível oferecer as sepulturas pelo mesmo preço da cidade de Americana.

Por fim, o vereador questiona a capacidade máxima dos cemitérios Central e Campo da Paz (Cabreúva), indagando também se esses locais dispõem de mais espaço para sepultamento.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE