Esquizofrenia e Transtorno Bipolar: saiba como diferenciá-los

Esquizofrenia e Transtorno Bipolar são duas doenças mentais que afetam a maneira como as pessoas pensam e agem. Por terem alguns sintomas em comum, às vezes pode parecer difícil distingui-las, mas também há grandes diferenças entre as duas.

Uma das principais características do Transtorno Bipolar são as variações no humor, que dificultam a realização das atividades cotidianas. Já nos casos de Esquizofrenia, os problemas com o humor não são o ponto central, e sim as alucinações, que podem dificultar o relacionamento interpessoal e o discernimento do que é real ou não.

Neste post que contou com a colaboração da Dra. Luciana Mancini Bari, clínica geral do Hospital Santa Mônica, você vai saber mais sobre cada uma dessas duas doenças e aprender quais são as principais diferenças entre a Esquizofrenia e o Transtorno Bipolar. Acompanhe!

Características da Esquizofrenia

A Esquizofrenia é uma doença que atinge 23 milhões de pessoas no mundo e dois milhões de brasileiros. A doença faz com que as pessoas passem a interpretar a realidade de forma diferente, o que afeta o modo como ela pensa, sente e se comporta. Isso acontece por conta da liberação excessiva de dopamina pelo corpo, neurotransmissor responsável por ativar ou inibir a atividade cerebral.

A causa exata dessa alteração ainda é desconhecida pela medicina, mas fatores como hereditariedade, ambiente e química cerebral alterada podem influenciar o surgimento da doença ou a intensidade dos sintomas.

O resultado dessas alterações é a dificuldade do cérebro em entender a realidade, elaborar pensamentos e formular respostas emocionais mais complexas. Isso pode causar alucinações, comportamento agitado ou agressivo, compulsão, delírio, perda de memória, ansiedade, entre outras coisas.

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, a Esquizofrenia é um distúrbio de múltiplas personalidades. Ela é uma doença crônica, que exige tratamento durante toda a vida do paciente. Infelizmente, o esquizofrênico ainda sofre muitos preconceitos, pois a doença é, erroneamente, associada à agressividade, à violência e a manicômios.

Em ambos os casos, o paciente passa por tratamentos terapêuticos, com terapias familiar, comportamental e em grupo, psicoeducação e participação em grupos de apoio. Vale ressaltar que ” o diagnóstico e o tratamento precoce nessas doenças são muito importantes pois evitam a progressão do quadro”, segundo a Dra. Luciana.

O Hospital Santa Mônica tem mais de 50 anos de experiência no tratamento de transtornos mentais. Aqui, os pacientes são acompanhados por uma equipe multidisciplinar especializada e têm acesso a toda a estrutura necessária para o tratamento médico e terapêutico.

Como a internação do paciente pode se fazer necessária nos casos dessas e outras doenças, dispomos, ainda, de quartos especiais, onde os pacientes podem se acomodar confortavelmente para que o tratamento seja feito da melhor maneira possível.

Sintomas da Esquizofrenia

Os sintomas da Esquizofrenia costumam se manifestar entre os 15 e os 35 anos de idade do paciente. A doença pode ocorrer em crianças, mas esses casos são raros. Os sintomas podem estar associados à psicose, a interrupções nas emoções e à cognição. A seguir, confira uma lista com os principais sinais da doença:

  • alucinações;
  • delírios;
  • agitação corporal;
  • pensamentos desordenados;
  • redução da capacidade de expressar emoções;
  • falta de vontade de exercer atividades que antes eram prazerosas;
  • dificuldade de se manter concentrado em uma atividade;
  • redução da fala;
  • lentidão intelectual;
  • incapacidade de tomar decisões.

Características do Transtorno Bipolar

O Transtorno Bipolar, conhecido por alguns como Bipolaridade, é um distúrbio que tem como principal característica a variação constante humor — depressão, euforia e apatia se alternam de forma súbita. A doença atinge cerca de 140 milhões de pessoas no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. A sua incidência é muito maior do que a da Esquizofrenia, mais rara.

Durante as crises de euforia, o paciente pode ter dificuldades para dormir e apresentar perda de contato com a realidade. Já nos episódios depressivos, a falta de motivação e a perda do interesse por atividades cotidianas são os sinais mais observados. Essas mudanças podem durar por dias ou meses.

O Transtorno Bipolar é uma doença crônica, que deve ser tratada durante toda a vida do paciente. O diagnóstico também deve ser feito por um médico psiquiatra, por meio da observação do comportamento e da análise do histórico médico do indivíduo.

Sintomas do Transtorno Bipolar

Ao contrário do que acontece nos casos de Esquizofrenia, o paciente com Transtorno Bipolar não precisa apresentar sintomas como alucinações, delírios e confusão de pensamento para ser diagnosticado, apesar de existir a possibilidade desses sinais se manifestarem.

Para que o diagnóstico seja confirmado, é preciso que o paciente tenha tido, pelo menos, um episódio de mania. Veja, a seguir, os principais sintomas da doença e saiba como identificar o Transtorno Bipolar.

Sintomas da fase de euforia

  • aceleração do pensamento e da fala;
  • sensação de bem-estar;
  • agitação;
  • menor necessidade de sono;
  • maior energia;
  • impulsividade;
  • ideias grandiosas;
  • sensação de poder.

Sintomas da fase de depressão

  • alterações no apetite;
  • perda de energia;
  • falta de interesse por atividades que antes eram prazerosas;
  • sentimento de inutilidade ou culpa;
  • pensamentos suicidas;
  • isolamento social.

Principais diferenças entre Esquizofrenia e Transtorno Bipolar

De forma resumida, a diferença entre Esquizofrenia e Transtorno Bipolar é que a primeira envolve sintomas psicóticos, alucinações e distorções da realidade, enquanto a segunda precisa incluir um episódio de mania e podem ocorrer repetidos episódios de depressão.

No Transtorno Bipolar, os episódios duram, pelo menos, 4 dias, podendo chegar a meses. Já na Esquizofrenia, os sintomas se apresentam de forma constante, geralmente por um período de 6 meses, segundo um artigo divulgado pelo site Very Well Mind.

Importância do tratamento

Os tratamentos para Esquizofrenia e Transtorno Bipolar são muito importantes para manter a qualidade de vida do paciente. O acompanhamento médico adequado também melhora a relação do paciente com familiares e outras pessoas próximas e facilita a execução de atividades de rotina.

tratamento contra Esquizofrenia inclui o uso de medicamentos antipsicóticos e antitremores. Já nos casos de Transtorno Bipolar, os medicamentos mais utilizados são os ansiolíticos, anticonvulsivantes, neurolépticos e, também, os antipsicóticos.
Em ambos os casos, o paciente passa por tratamentos terapêuticos, com terapias familiar, comportamental e em grupo, psicoeducação e participação em grupos de apoio. Vale ressaltar que ” o diagnóstico e o tratamento precoce nessas doenças são muito importantes pois evitam a progressão do quadro”, segundo a Dr Luciana.

O Hospital Santa Mônica tem mais de 50 anos de experiência no tratamento de transtornos mentais. Aqui, os pacientes são acompanhados por uma equipe multidisciplinar especializada e têm acesso a toda a estrutura necessária para o tratamento médico e terapêutico.

Como a internação do paciente pode se fazer necessária nos casos dessas e outras doenças, dispomos, ainda, de quartos especiais, onde os pacientes podem se acomodar confortavelmente para que o tratamento seja feito da melhor maneira possível.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE