Embrapa desenvolve cenoura para produção orgânica

A Embrapa lançou hoje (7) a primeira modalidade de cenoura no mercado nacional adaptada para sistemas de plantações orgânicas. Batizada de  cenoura BRS Paranoá. Desenvolvida pelo programa de melhoramento genético da Embrapa Hortaliças (Brasília/DF), a cenoura dispensa a necessidade de utilizar qualquer defensivo agrícola e possui alta resistência à queima-das-folhas, principal doença que afeta a cultura nas regiões produtoras do Brasil. As sementes estarão disponíveis para comercialização a partir de 2021.

A nova modalidade é recomendada para plantio no período do verão, época com condições mais adversas para o plantio da raiz e entressafra das cultivares convencionais plantadas no inverno. Testes realizados pela Embrapa apontam que a plantação da BRS Paranoá pode atingir uma produtividade média de 32,3 toneladas por hectare (t/ha), mais de 3 t/ha à frente da segunda colocada na avaliação.

De acordo com o engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa, Aguinaldo Carvalho, a modalidade apresenta um índice de desfolha por doenças foliares fica abaixo de 10%, mesmo a aplicação de produtos para o controle da doença.

“Ela foi desenvolvida para os sistemas orgânicos para que pequenos produtores consigam agregar valores e com isso se tornem competitivos no mercado. É uma opção bastante atraente para o produtor de cenoura, com reflexos nos custos de produção e na qualidade das raízes”, disse Carvalho que atuou no desenvolvimento da modalidade, durante uma videoconferência para lançar a modalidade de cenoura.

Segundo Carvalho, a colheita pode ser feita a partir dos 90 dias após a semeadura e a modalidade também pode ser utilizada por produtores convencionais. “A BRS Paranoá tem uma elevada resistência a doenças foliares e apresenta um padrão comercial semelhante às cenouras convencionais e ótima adaptabilidade as condições orgânicas de produção, disse o pesquisador.

O lançamento da nova modalidade ocorre durante a realização da AgroBrasília, versão digital da feira do agronegócio com tecnologias voltadas para a região do Cerrado e do Planalto Central brasileiro que corre de 06 a 10 de julho. “A cenoura BRS Paranoá foi validada nas condições ambientais do Distrito Federal, tendo se mostrado muito produtiva e estável”, disse Carvalho para quem a modalidade se oferece com o uma alternativa para os produtores orgânicos da região.

Além da nova modalidade de cenoura,a a Embrapa também lança no evento o método de análise genética do tambaqui, conhecido como Tambaplus, que visa ao aumento da produtividade na criação desses peixes e o novo curso online sobre produção de Plantas Alimentícias não Convencionais.

Com informações Agência Brasil

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE