Em artigo, Russo lamenta ‘termos eleito Bolsonaro’

 Em artigo, Russo lamenta ‘termos eleito Bolsonaro’

A história recente do Brasil está sendo escrita por iletrados. Não são homens ou mulheres com dificuldade de estudar, de se manter, mas com dificuldade de entender o que é viver em comunidade.

??dio, ignorância, inveja, idiotice e perversidade se uniram para forjar um governo capaz de mandar sua população ao sacrifício , em nome da comprovação de que a terra é plana, vacinas fazem mal, ninguém passa fome no Brasil, trabalhador ganha muito, bandido bom é bandido morto, que temos que ter menos direito para ter empregos, enfim que o Coronavírus é uma gripezinha, um resfriadinho.
Custo a acreditar que chegamos a isso. Custo a acreditar que chegamos a isso com voto popular. Custo a acreditar que isso era o melhor para o Brasil. Custo a acreditar que estou acordado e vendo um governo pensando em dinheiro, na alta da bolsa de valores, em empréstimos aos bancos, na grosseria com nossa gente, no descaso com 5.000 ou 7.000 mortos, afinal eram velhos e estavam mais próximos da morte do que da vida digna que este país negou a grande maioria.
?? triste ver a oitava economia mundial, o país com uma das maiores reservas de minérios, de petróleo, de produção de soja, enfim abençoado por Deus e tomado pela ganância de uma elite predadora que faz do dinheiro sua razão de existência, sem pensar em construir um Estado, uma nação de brasileiros, com identidade própria e dotada de solidariedade como cimento desse tecido social.Nostálgico lembrar de Getúlio, de Jango, de Brisolla, de Lula, enfim de brasileiros que elevaram nosso amor ao Brasil, que elevaram nosso patriotismo de forma a fazer inveja a maioria dos países e sermos decretados como um país onde a felicidade se fazia presente.Hoje tudo esta triste. Tudo está à espera. A esperança fugiu de nosso país, foi embora com a submissão, as mentiras, o ódio e o descompromisso com nosso povo. Hoje o Brasil funciona como a família Bolsonaro em que a mentira é o meio de vida. Só encontraremos a felicidade novamente, quando nos livrarmos desse mal, que afeta nossa autoestima, nossa alma, nossa sede de justiça e nossa coragem de enfrentar os desafios.Só encontraremos a paz quando o ódio se for e o ódio só irá quando Flávio, Carlos, Eduardo e Bolsonaro voltarem para o esgoto político, lugar de onde nunca deveriam ter saído.Não há nada de bom a esperar enquanto esses apocalípticos, anômalos seres permanecerem brincando com a vida de todos nós.Infelizmente é assim. Tristemente é assim. Mas não precisa terminar assim.
Marco Russo Cientista SocialSecretário Geral PT Americana.

Relacionados

Leave a Reply