Educação socioemocional deve ser abordada nas escolas

Amar e respeitar o próximo, pensar na comunidade em que se está inserido de maneira solidária, empática, colaborativa, com ética, cidadã, honesta e responsável. De acordo com as novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), tais valores -ou características-, bem como outras competências socioemocionais, devem ser desenvolvidas no ambiente escolar, sendo inseridas nas grades de todas as escolas brasileiras, efetivamente, até 2020. No entanto, a Maple Bear Canadian School, rede canadense de ensino bilíngue com cem unidades no país, já aplica essas atividades, prova que a solução acima já foi testada e muito bem aprovada.

???Hoje, com as demandas atuais da sociedade, não basta saber ler; é preciso entender e conectar as informações e torná-las realmente relevantes para o contexto socioeconômico no qual vivemos???, explica o diretor acadêmico da escola canadense, Peter Visser. ???Educação socioemocional é o processo durante o qual os jovens trabalham habilidades e atitudes relacionadas ao controle das emoções, ao estabelecimento de metas, à tomada de decisões e à construção de relações saudáveis???, completa.

Com essa decisão, a educação brasileira passa a acompanhar a tendência mundial já aplicada à rede. Apesar deste conceito ainda não ser hegemônico mundialmente, vem ganhando adeptos em partes da Inglaterra, na América do Norte, nos países escandinavos, em algumas nações asiáticas e no Canadá, país em que a Maple Bear foi fundada. ???Os pilares aplicados pela Maple Bear são a autoconsciência, o autocontrole, a consciência social, as habilidades de construir relações e a tomada de decisões responsáveis???, diz Visser. O diretor acadêmico complementa que todos os professores incentivam sempre e a todo momento à postura ativa e autônoma dos estudantes durante seu processo de aprendizagem, seja em momentos individuais em que tem que tomar decisões sozinhos, ou em trabalhos cooperativos em grupos, que exigem aprender a escutar seus companheiros, a esperar por sua vez, a discordar de maneira respeitosa e a organizar a divisão de tarefas.

???A nova lei com certeza vai promover uma série de benefícios para estudantes das demais escolas brasileiras, tais como o desenvolvimento adequado de relações positivas entre os jovens e seus professores e colegas, o que facilita o desenvolvimento de um grupo coeso e orgânico capaz de diminuir os níveis de estresse e depressão entre si. Esse tipo de pedagogia melhora a capacidade de tomada de decisões, o controle das próprias emoções e o aprendizado efetivo dos conteúdos e habilidades definidos pelo programa???, finaliza.

E como vai funcionar na prática? Seja nas salas de aula ou em casa, educadores e responsáveis devem desenvolver e aplicar atividades que estimulem a participação ativa dos estudantes em seu processo de aprendizagem e que os incentivem a trabalhar em grupo, para o desenvolvimento dessas habilidades. A própria vivência das crianças podem servir de exemplos e prática.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE