Educação lança projeto sobre direitos da criança

A Secretaria de Educação de Americana inicia mês que vem o projeto “Promoção e proteção dos direitos das crianças” na região da Cidade Jardim, Mathiensen e Jardim dos Lírios. O projeto é uma parceria entre as secretarias de Saúde, Ação Social, Fundo Social de Solidariedade e Unisal.

O projeto vai atingir o Ciep da Cidade Jardim, Creche Anajá e Casa da Criança Araúna e a comunidades da região. “A parceria vai englobar uma rede de ações com possibilidades de trabalhos que envolvam as famílias desses alunos. Os diagnósticos apontam que a região tem reais índices de vulnerabilidade social. E isto nos levou a iniciar o projeto nestes bairros”, revelou a secretária de Educação, Juçara Noveli.
Segundo Juçara, o corpo do projeto começou praticamente na Semana da Educação, quando a Secretaria de Educação convidou para palestras a professora Maria Luisa Bissoto e a pedagoga Maria Luiza Begnami, que abordaram a questão dos impactos das vulnerabilidades no desenvolvimento psicossocial da criança e o papel da escola como fator de proteção de direitos e dos direitos e deveres educacionais: o conflito como forma de educar. A rede municipal de ensino reforça e amplia o estudo sobre a questão com o curso de capacitação em saúde mental infantil, ministrado pela médica e psiquiatra Natália Biagi, da Unicamp.
Os objetivos centrais do programa são a prevenção e redução do abandono escolar precoce, a redução da indisciplina e a promoção do sucesso educativo de todos os alunos. “Este entendimento vem da compreensão de que a escola é também um local de promoção e garantia dos direitos”, justificou Juçara. A secretária disse que o professor/gestor desta região poderá fazer intervenções pontuais no ambiente escolar. “A Unisal promoverá para toda rede de ensino cursos de extensão, formação, pós-graduação, refletindo nesta questão da vulnerabilidade social”, afirmou.
Segundo a secretária, o programa efetiva uma concepção diferenciada de escolas que se localizam em territórios econômica e socialmente desfavorecidos, marcados pela exclusão social, onde a violência, a indisciplina,  o abandono e o insucesso escolar mais se manifestam. O projeto trabalhará com estudantes da área de pedagogia, psicologia, assistente social e de direitos e os profissionais da educação. “Isto significa que temos um contexto social concreto nesta região, temos o diagnóstico e a análise do ambiente. A médio prazo vamos trabalhar os problemas com intervenções destas secretarias com apoio efetivo da Unisal”. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE