Editorial- Protestos com ou sem jeitinho

Protestos, futuro e jeitinho

O Brasil enricou rapidamente. Passamos por um período de ajuste social ou do valor das coisas. No sul maravilha praticamente todo mundo tem carro. No norte antes pobre, se troca o jegue pela moto.

Essa década tem dois temas principais- Esporte (Copa e Olimpíada) e Mobilidade Urbana (por conta dos eventos esportivos e da enxurrada de carros nas ruas). Vivemos uma encruzilhada de modelos de transporte. Seguir o europeu (público, mas que lembra algumas décadas atrás- quando éramos pobres) ou o americano (privado e pujante, do cada um por si).

O modelo americano (carros e estradas) basicamente não se sustenta porque as cidades por aqui são velhas e cresceram pobrinhas. O europeu precisa ser adotado partindo dos governantes- com coragem- que falta.

JEITINHO- O brasileiro novo (quase) rico não sabe andar pela direita, porque a vida não espera e porque agora ele tem um carro novo (bom). E ainda tem o jeitinho. O levar vantagem. De que adianta ir pras manifestações e não dar passagem, ou jogar o lixo na rua. O povo que vai às ruas, precisa deixá-las limpas. Precisa dar passagem.

Senão vamos sempre fazer nosso expurgo achando lindas as campanhas da Coca Cola e do Itaú, essa entidades filantrópicas que atuam no país.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE