Edit

Nathália quer incentivo à leitura e Juliana Dia da Família Acolhedora

A vereadora Nathália Camargo (Avante) protocolou na secretaria da Câmara Municipal de Americana um requerimento em que pede informações ao Poder Executivo sobreo funcionamento da Biblioteca Municipal e questiona sobre a adoção de medidas de incentivo à leitura.  No documento, a parlamentar destaca que, seguindo as diretrizes do Plano São Paulo, a biblioteca suspendeu a visitação, leitura, pesquisa e atividades culturais no local, mas mantém ativo o empréstimo de livros com reserva prévia por telefone e agendamento para retirada.

 

Contudo, segundo a vereadora, usuários têm relatado dificuldades na retirada de livros e periódicos por razões como horário de funcionamento restrito, problemas de deslocamento pela falta de transporte e de estacionamento e falta de acesso à internet para consulta do catálogo online. “É inquestionável o papel fundamental da leitura na vida do ser humano e é importante que o município incentive e procure maneiras que facilitem o acesso das pessoas ao empréstimo de livros. Um modo prático seria criar um mecanismo de entrega e retirada, no qual o cidadão possa solicitar o livro via telefone, recebendo-o em sua casa, numa espécie de ‘delivery’”, comenta Nathália. No requerimento, a parlamentar pergunta se há previsão para reabertura da biblioteca municipal no horário regular e se houve diferença na quantidade de empréstimos de obras durante o horário reduzido. Também questiona se existe algum projeto em andamento para incentivo à leitura e se é possível implantar um mecanismo de entrega e busca de livros.

 

O requerimento será discutido e votado pelos vereadores em Plenário na próxima sessão ordinária, que acontece nesta quinta-feira (12).

Prof. Juliana quer “Dia da Família Acolhedora Americanense” para difundir serviço

 

A vereadora Professora Juliana (PT) protocolou na secretaria da Câmara Municipal de Americana um projeto de lei que autoriza o Poder Executivo a instituir no calendário de comemoração oficial do município o “Dia da Família Acolhedora Americanense”. A data deverá ser celebrada em 31 de maio de cada ano e o objetivo é difundir esse serviço na cidade. Na justificativa do projeto, a parlamentar destaca que o serviço de acolhimento em família acolhedora tem respaldo legal na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente. O programa consiste em cadastrar e capacitar famílias da comunidade para receberem em suas casas, por até dezoito meses, crianças, adolescentes ou grupos de irmãos em situação de risco pessoal e social e que tiveram seus direitos violados.

 

“É uma forma de dar a eles acolhida, amparo, aceitação, amor e a possibilidade de continuidade da convivência familiar em ambiente sadio para a criança ou adolescente até que haja a reintegração familiar ou, em última circunstância, a inserção em família substituta”, comenta Juliana. No projeto, a vereadora estipula que na data serão desenvolvidas e incentivadas ações educativas por meio de eventos, palestras, seminários, conferências e atividades culturais para valorizar e divulgar informações sobre o serviço, além da produção de material a respeito do programa, sobre como se tornar uma família acolhedora e as diferenças entre família acolhedora, apadrinhamento afetivo e adoção, por exemplo.

 

O projeto de lei será encaminhado às comissões pertinentes e, não havendo impedimento legal para sua tramitação, será discutido e votado pelos vereadores, em plenário, durante sessão ordinária.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE