Dilma cutuca espionagem em assembleia da ONU

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje, enquanto abria a 68ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, que a espionagem dos Estados Unidos transcende o relacionamento entre os países, afeta a comunidade internacional e exige uma resposta. Ela propôs o estabelecimento de um marco civil multilateral para a governança e uso da internet na proteção de dados.

???As tecnologias de telecomunicação e informação não podem ser um novo campo de batalha entre os Estados. Este é o momento de criarmos as condições para evitar que o espaço cibernético seja instrumentalizado como arma de guerra por meio da espionagem, da sabotagem, dos ataques contra o sistema e infraestrutura de outros países???, disse Dilma. ???A ONU deve desempenhar um papel de liderança no esforço de regular o comportamento dos Estados ante essas tecnologias e a importância da internet para a construção da democracia no mundo.???

Dilma disse que a revelações das atividades de espionagem provocaram indignação e repúdio na opinião pública mundial e ressaltou que uma soberania não se pode firmar em detrimento de outra. ???Jamais pode o direito à segurança dos cidadãos de um país ser garantido mediante a violação de direitos humanos e fundamentais dos cidadãos de outro país. Pior ainda quando empresas privadas estão sustentando essa espionagem???, disse.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE