Detran SP lança campanha nas redes sociais

Começou o Maio amarelo, um mês todo dedicado internacionalmente à segurança no trânsito. Por isso, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), em parceria com o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, lança nesta terça-feira (2/5) a campanha educativa “Foca no Trânsito”, que convida todo mundo a refletir sobre uma estatística alarmante: você sabia que 94% dos acidentes com mortes são causados por falha humana, como imprudência e distração? O levantamento é do Infosiga SP, banco de dados do Movimento.

Como o trânsito exige 100% de atenção, não por acaso o mascote da campanha é uma foca. Porque quem #FocaNoTrânsito vai em segurança. A ação, que será desenvolvida em diversas cidades do Estado, conta com imagens do bicho em várias situações no tráfego de ruas e avenidas. Além disso, “homens-foca” circularão por diversos espaços públicos e privados.
“Nosso intuito é conscientizar as pessoas de que, com uma mudança de comportamento, podemos reduzir drasticamente o número de mortes no trânsito, já que a maioria é causada por erros humanos. Precisamos do engajamento de todos os cidadãos para mudar essa grave realidade”, pontua Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran.SP. “Ignorar regras e práticas seguras tem relação direta com acidentes fatais. A mensagem parece óbvia, mas as estatísticas mostram, infelizmente, que há muito por fazer para conscientizar a população e reduzir a violência no trânsito”, explica Silvia Lisboa, coordenadora do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. Essas falhas podem, na maior parte das vezes, ser corrigidas com atitudes muito simples: usar sempre o cinto de segurança, inclusive no banco de trás; nunca, mas nunca mesmo dirigir depois de beber; respeitar os limites de velocidade e esquecer o celular enquanto você estiver ao volante ou atravessando a rua. Por semana, cada um desses temas será trabalhado, a começar pelo cinto. As ações estarão reunidas no site www.focanotransito.com.br.
Cinto de segurança ??? O uso do cinto de segurança, tema desta semana, reduz o risco de morte em 45% em ocupantes no banco da frente e, no traseiro, em até 75%, de acordo com estudo da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet). Segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), gradativamente as pessoas estão começando a ter noção sobre a importância de utilizar o equipamento. Desde que a agência deu início a uma campanha de conscientização em parceria com as concessionárias, em pouco mais de um ano e meio, aumentou em 19 pontos percentuais o índice de passageiros do banco traseiro que usam o cinto. A ação foi desenvolvida pelo órgão depois de uma pesquisa, realizada em dezembro de 2014, mostrar que menos da metade dos passageiros do banco traseiro utilizava o cinto. Na ocasião foi verificado que apenas 46% dos passageiros do banco de trás usavam o equipamento, enquanto no levantamento realizado no segundo semestre de 2016 o índice subiu para 65%.
 Outro levantamento feito pela Artesp aponta que 57,4% das vítimas fatais do banco traseiro estavam sem o cinto nos acidentes ocorridos entre janeiro de 2012 e junho de 2016 nas rodovias paulistas concedidas.
“Portanto, mesmo que já tenha havido uma evolução, precisamos avançar ainda mais, até que motoristas e passageiros sem exceção utilizem sempre o cinto de segurança. Ele salva vidas”, ressalta Maxwell.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE