Edit

Descoloração: como evitar o corte químico

O Brasil não é um país de maioria loira, porém, a quantidade de mulheres que adotam esse estilo é visível. Em 2015, uma pesquisa feita pela Koleston revelou que 1 a cada 10 brasileiras gostaria de ser loira e essa tendência cultural leva a criação e utilização de procedimentos capilares que possam realizar tais vontades. Porém, para mudar a cor de cabelo, geralmente precisa-se passar por um processo de descoloração que, se feito sem cuidados especiais, pode gerar problemas sérios.

 

“Para que a descoloração aconteça, as substâncias químicas precisam penetrar através da cutícula do cabelo e atingir uma região muito sensível que se chama córtex, onde estão presentes os nutrientes e componentes estruturais do fio”, explica a cientista e expert em saúde do cabelo Jackeline Alecrim. De acordo com ela, por ser um procedimento agressivo, é necessário que o cabelo esteja com uma estrutura mais forte para que consiga finalizar a descoloração sem sofrer danos. “O corte químico acontece porque as substâncias provocam uma alteração na estrutura do fio. Assim, o cabelo fica elástico ou com pontos de instabilidade na fibra capilar”.

 

A especialista ressalta ainda, que, após a descoloração, é possível que ocorram quebras no fio. “O descolorante fragiliza a estrutura da fibra capilar e o fio acaba se rompendo”. Alecrim acredita que os fios que estão mais suscetíveis a problemas com a descoloração são os fios finos, os frágeis, os ressecados ou fios que são submetidos a um tempo de descoloração maior. “Por isso, o teste de mechas é indispensável para qualquer tipo de procedimento”, aconselha.

 

Para preparar o cabelo para a descoloração, a cientista aponta que deve-se reforçar, por pelo menos 1 mês, os tratamentos de nutrição, hidratação e, se necessário, a reconstrução também. Porém, ela alerta para o excesso de utilização da reconstrução. “A fibra do cabelo pode ficar muito rígida e também quebrar durante a descoloração”, explica. Além disso, é interessante deixar que a oleosidade natural atue como uma proteção para o cabelo e para o couro cabeludo, ou seja, não deve-se estar com os fios totalmente limpos durante a descoloração. “Após o procedimento, também é importante reforçar a nutrição e utilizar tratamentos que tenham micro ativos que consigam atingir o córtex do cabelo para repor componentes perdidos durante o procedimento”, afirma.

 

Sobre Jackeline Alecrim

Jackeline Alecrim é pesquisadora e desenvolvedora de formulações científicas para queda capilar, distúrbios do couro cabeludo, alopecias e danos no fio; cientista e especialista em cosmetologia avançada; fundadora da empresa de cosméticos Magic Science Brasil, que é destaque nacional e internacional pela eficácia clínica de seus produtos. Jackeline também faz sucesso com dicas de saúde capilar nas redes sociais, contando com mais de 90 mil seguidores no instagram.

 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE