Descarte irregular de lixo gera indignação em Nova Odessa

A cena de um contêiner de coleta de lixo vazio, mas rodeado de detritos, causou indignação nos moradores do Jardim Nossa Senhora de Fátima, em Nova Odessa, onde o recipiente está posicionado. O fato motivou na última quarta-feira (19) uma denúncia dos vizinhos à Coden Ambiental, empresa de economia mista responsável pela coleta e destinação de resíduos sólidos.

Ao todo, Nova Odessa conta com 115 contêineres com capacidade para mil litros, que estão instalados em diversos pontos estratégicos da cidade para receber o descarte de lixo doméstico (ou “lixo comum”). “No entanto, por falta de conscientização de alguns, é comum ocorrer o descarte de todo o tipo de lixo nas vias públicas, principalmente no entorno das lixeiras”, lamentou o diretor presidente da empresa, Elsio Boccaletto.

No caso denunciado, o lixo que deveria ter sido depositado dentro do contêiner foi jogado na rua e na calçada, sem qualquer proteção. Foram encontrados pedaços de vidro, latas, garrafas pet, sacolas de supermercado, embalagens de medicamentos e outros resíduos. “Além do mau cheiro, essa atitude ainda traz riscos de ferimentos e contaminação, tanto para os garis, que coletam o lixo, como para os transeuntes. Sem contar os prejuízos ao meio ambiente”, disse.

A Coden Ambiental, que opera o sistema de coleta e destinação do lixo no município através da contratada Pass Ambiental, reforça que não é permitido o depósito de lixo em calçadas, ruas e canteiros de avenidas. A infração está sujeita a multas que variam de R$ 500 a R$ 5 mil, conforme estabelecido na Lei Municipal nº 2.883/2014, que disciplina a limpeza e a conservação de áreas públicas e particulares.

Diretor técnico da empresa, Rean Gustavo Sobrinho pediu a colaboração da população para resolver o problema. “Só com o apoio de todos vamos conseguir vencer esse desafio de acabar com o descarte irregular de lixo e, assim, proteger a saúde das pessoas”, alertou.

De acordo com a diretora do Meio Ambiente da Prefeitura de Nova Odessa, a também bióloga Daniela Helena Fávaro, os fiscais dos setores de Obras e Serviços Urbanos, Zoonoses e Meio Ambiente da Prefeitura circulam diariamente pela cidade para notificar e multar esse tipo de ação.

Além da fiscalização presencial, as câmeras de monitoramento da CCM (Guarda Civil Municipal) ajudam muito nessa tarefa. “Mensalmente, chegam para nós mais de 20 imagens de flagrantes de descarte irregular enviadas pela Guarda Municipal e que são anexadas como provas nos processos de multas”, explicou.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE