Edit

Deputados pedem suspensão da venda de Chips

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Telecomunicações aprovou em reunião extraordinária esta quinta-feira (20/08) relatório parcial e preliminar, solicitando ao Ministério Público do Estado de São Paulo adoção das providências necessárias para que se faça a suspensão imediata da habilitação de novos chips “pré-pagos” e que ela permaneça até que a Anatel e as operadoras providenciem segurança aos consumidores do Estado. O deputado estadual Chico Sardelli, que é vice-presidente da comissão, votou favoravelmente ao relatório. O presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez, acompanhou a reunião da CPI e se comprometeu em agendar uma audiência para a próxima semana com o procurador geral de Justiça de São Paulo para que os deputados possam entregar essa decisão e solicitação da comissão. O relator da CPI é o deputado Roberto Morais e o presidente o deputado Orlando Morando. Conforme o relatório preliminar, a CPI constatou que os procedimentos que as operadoras adotaram na habilitação de novas linhas de telefone celular “pré-pago” permitem a fraude com os consumidores e ainda coaduna com o aumento da impunidade e da criminalidade, reduzindo a eficiência dos trabalhos de investigação da polícia. Os delegados convidados para a reunião da semana passada fizeram coro ao relatarem a situação caótica dos serviços de telefonia e foi uníssona a informação de que a falta de controle da venda dos chips pré-pagos, bem como a ausência de mecanismos de controle dos documentos cadastrais têm contribuído para o aumento da incidência de crimes. “Após todo conteúdo explanado pelos convidados se concluiu que a Anatel e as operadoras estão sendo, no mínimo, omissas, para não dizer coniventes e facilitadoras da ação de criminosos no Estado de São Paulo. O problema da habilitação de chips “pré-pagos”, sem a devida segurança e ainda a recusa ou demora no envio de informações cadastrais, inviabiliza o atendimento da Polícia, promovendo insegurança total à sociedade”, diz o relatório. Diante dessa situação, é que a CPI requer providências do Ministério Público. Chico Sardelli também cobrou a convocação dos presidentes das empresas de telefonia, já aprovada em reunião da CPI, para prestarem esclarecimentos aos deputados.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE