Edit

Demanda cresce nas viagens corporativas

Diante da vacinação contra a Covid-19, o retorno gradual do trabalho presencial começa a ser cada vez mais acentuado. Este movimento também está sendo registrado no setor de turismo de negócios. Um levantamento realizado pelo buscador Kayak mostra que 46% dos brasileiros devem retomar as viagens corporativas até começo de 2022. Para 23,9% dos mil entrevistados estas retornarão até o fim deste ano, enquanto 22,1% acreditam que isso acontece até o início de 2022. A pesquisa apontou ainda que, para quase 14% dos entrevistados, as viagens corporativas já voltaram.

Com este cenário, as empresas do segmento começam a esboçar reação positiva, faturando R$ 351 milhões, o que corresponde a um avanço de 252,6% na comparação anual, segundo a Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp) em balanço de julho.

Uma delas é a Onfly, travel tech de Minas Gerais, que na pandemia conseguiu crescer três vezes em volume transacionado e em receita, e cuja pretensão é fechar 2021 com R$ 40 milhões de volume transacionado.

Desde o início do ano, sempre ampliando o número de funcionários e a carteira de clientes, sabendo agora que o momento é de “retomada explosiva”, seu propósito é estreitar os laços com fornecedores e empresas que precisam digitalizar seus processos de viagens e reembolsos, livrando-se, assim, das ineficiências com solicitação de viagens a trabalho e reembolsos nas empresas, entre outros fatores que geram mais produtividade e economia para todos os envolvidos, conforme explica Marcelo Linhares, CEO da Onfly, “O objetivo é gerar mais produtividade aos colaboradores e economicidade às pessoas jurídicas”.

 

Parceria estratégica para atender demanda em todo o país

Para isso, a travel tech acaba de anunciar sua mais nova parceira: a capixaba DNA Turismo, a primeira de uma grande rede de parceiros que está sendo construída em todos os estados para aumentar a distribuição da Onfly em todo o país. A ideia é minimizar as dores do setor com a digitalização de processos de viagens, ampliando e integrando os múltiplos canais de serviços e relacionamentos.

Segundo Servulo Clermont, diretor da DNA Turismo, todo o processo será feito graças à integração dos sistemas e à interface amigável, diferenciais fundamentais para o aumento da produtividade e simplificação das atividades que envolvem a gestão de viagens e reembolsos. “O fato de conhecer a Onfly e saber o quanto são dedicados à inovação me faz ter a segurança de que nossos clientes estarão muito bem servidos”.

Ao passo que Servulo Clermont ficará responsável diretamente pela parte comercial no Espírito Santo, a Onfly assumirá os aspectos relacionados ao sourcing, atendimento, financeiro e, principalmente, tecnologia. A meta das empresas no território capixaba é agressiva: a pretensão é de ter, no mínimo, 80 clientes recorrentes em dois anos e uma forte presença digital no estado, já envolvida no plano de crescimento.

O foco da parceria será a plataforma “Tudo em Um”, onde gestão de reembolsos e viagens são feitas em uma única plataforma. Do cafezinho que o colaborador toma no aeroporto, passando pelo trajeto de Uber ou 99, e culminando na reserva de hotel e compra de passagem aérea, tudo fica consolidado em um único lugar, facilitando o acesso aos dados e a tomada de decisão pelos gestores.

 

Marcelo Linhares, CEO da Onfly

 

E, uma vez que a retomada das atividades de viagens e turismo pós-Covid-19 está sendo acompanhada de uma disruptura provocada pela indispensável digitalização, depois de registrar faturamento de R$ 8,5 milhões em 2020, a expectativa é fechar 2021 com um crescimento cinco vezes maior. “O fato de investirmos em ativos digitais únicos, sem legados, totalmente centrados nas necessidades dos viajantes, dos gestores e dos seus respectivos acionistas, nos coloca de forma diferenciada no mercado, atualmente carente de inovação e excessivamente comoditizado, sem a dependência de terceiros”, diz Marcelo Linhares.

 

Histórico

A Onfly, travel tech que permite que empresas e funcionários façam reservas de voos e locação de carros de forma on-line, trabalhando a gestão de reembolsos e de viagens em uma única plataforma, começou as suas atividades em setembro de 2018. Seu ápice em negócios fechados se deu em fevereiro de 2020, com R$ 1,650 milhão de volume transacionado. Com a pandemia e a adoção de medidas restritivas, em abril do ano passado a startup registrou movimentação de R$ 14 mil. Em uma “volta por cima”, graças à crescente demanda pela digitalização das empresas, a situação começou a melhorar a partir de maio e a movimentação alcançou o patamar de R$ 1 milhão em novembro do ano passado.

No mês de agosto deste ano, a startup registrou 160 clientes recorrentes e 46 funcionários, batendo recorde de R$ 4,8 milhões de reservas transacionadas.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE