Dalbens ‘vão pro pau’ por risco de falta d’água em Sumaré

Nesta quarta-feira, dia 23, o prefeito de Sumaré Luiz Dalben (Cidadania), o deputado estadual Dirceu Dalben (PL) e vereadores de Sumaré se reuniram com representantes da CPFL Renováveis para impedir possíveis interrupções no abastecimento de água em Sumaré nos próximos dois meses. Isso porque a concessionária, que é responsável pela Barragem de Salto Grande, em Americana, iniciará procedimentos de rebaixamento do nível da água na represa, a fim de reduzir a quantidade de macrófitas no local (aguapés). A medida, no entanto, exige também a redução da vazão do Rio Atibaia, que é o principal manancial de abastecimento de Sumaré.

Ontem, o prefeito Luiz Dalben e o presidente da Câmara, vereador Willian Souza, foram procurados pela CPFL Renováveis para apresentação deste projeto de limpeza da Represa de Salto Grande. Diante da ameaça de problemas na captação de água no Rio Atibaia, prefeito e vereadores convocaram uma reunião ampliada na Câmara para esta manhã.

“O Rio Atibaia é o responsável pelo abastecimento de cerca de 70% da nossa população, que é de mais de 280 mil habitantes. Não podemos correr o risco de sofrer com a falta d’água, principalmente pelo momento de pandemia que estamos enfrentando. Além disso, estamos no período de estiagem, quando a captação de água já fica mais dificultada. Estamos cumprindo nosso dever de questionar a CPFL sobre as medidas previstas para evitar o desabastecimento em Sumaré e exigimos que a empresa protocole com urgência os projetos na Prefeitura, para análise e aprovação dos nossos técnicos”, explicou o prefeito Luiz Dalben.

O deputado estadual Dirceu Dalben reiterou a preocupação do prefeito e dos vereadores. Ele integrou a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Barragem de Salto Grande na Alesp, que apurou as condições de segurança da barragem e também abordou a poluição da represa e o excesso de macrófitas.

“Entendemos a importância deste projeto de limpeza e revitalização da represa em Americana, defendemos este projeto, mas as medidas não podem causar prejuízos à população, principalmente no que diz respeito ao abastecimento de água. E não é apenas Sumaré que capta água no Rio Atibaia, mas várias cidades da região. Por isso, é importante que a CPFL tenha um plano de ação para evitar o desabastecimento e que este plano seja submetido sempre com antecedência aos Municípios e seus representantes para avaliação. O processo de despoluição da represa de Salto Grande é um trabalho que envolve várias cidades da Bacia PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiaí) e que depende principalmente do tratamento de esgoto. Por isso, entendemos que todas as medidas devem ser discutidas e tratadas coletivamente”, reforçou o deputado.

O diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CPFL Energia, Rodolfo Sirol, e o gerente de Meio Ambiente da CPFL Renováveis, Daniel Daibert, que participaram da reunião, garantiram que Sumaré não sofrerá prejuízos no abastecimento de água, afirmando que a operação de rebaixamento do nível da represa contará com uma grande infraestrutura de bombas para que a captação no Rio Atibaia continue normalmente. Afirmaram ainda que, a qualquer momento, havendo necessidade, a empresa poderá suspender a operação. Também participaram da reunião representantes da BRK Ambiental.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE