Dalben e o desafio de governar sem oposição

Eleito em 2016 num cenário de cidade quase dividida, o prefeito de Sumaré Luiz Dalben (PPS) viu 2017 se transformar em um ano praticamente sem oposição na cidade.
O PSDB, grande adversário de 2016, passou 2017 afundado em denúncias da Lava Jato com um delator da Odebrecht entregando a ex-prefeita Cristina Carrara ‘de bandeja’ em entrevista ao Fantástico.
E 2017 foi passando com o desafio de governar se apresentou com as oposições em frangalhos, sem problemas na Câmara, sem risco de cassação e os problemas financeiros comuns aos prefeitos vizinhos.
O fetiche do governo segue ser o de romper o contrato da venda da administração da água da cidade para a Odebrecht, hoje repassada para a Brooksfield. O último movimento foi sair do consórcio regional e criar a agência municipal de regulação da água (que dita o preço e faz o ‘meio de campo’ com a administração).
CANDIDATOS– Aparentemente, a administração terá dois candidatos a deputado este ano na cidade. O pai do prefeito, Dirceu (PPS) e o vice Henrique do Paraíso (SD) são cotados por suas legendas como nomes mais fortes das legendas em toda a região. Existe a possibilidade de se focar em somente um nome, mas isto custaria que alguém abrisse mão da disputa.   

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE