Cristina, quem é o adversário?

Após ter derrotado o PT que governava a cidade há 8 anos e levar o PSDB pela 1ª vez a comandar Sumaré, Cristina Carrara passou 2013 tentando descobrir de onde viriam os ataques.

Após o PT quase morrer na cidade, quem se levantou para atazanar a vida política da tucana foi o presidente da Câmara e pai do vice-prefeito, Dirceu Dalben. Ela teve um ano ruim na Câmara e não emplacou uma marca.

Sua comunicação foi falha e mudou ainda no primeiro semestre. Ela trouxe o PCdoB para a base, mas os comunistas ficaram sem vereador. Também conquistou o PDT e deixou o PPS sem representantes. Junto com Dalben, quase ‘rodou’ na Justiça Eleitoral, mas conseguiu sobreviver, ele não.

Os políticos da Câmara e dos partidos da cidade esperam mais política de Cristina. Faltam ação e política a ela. Se tiver mais ação (projetos/obras) melhora a relação com a população e pode pressionar os políticos. Com pouca ação, sobra a política, que tem que ser feita mais profissionalmente.

Sumaré ainda tem problemas crônicos e saídas que não vão além do lugar comum. Os eleitores esperam um governante para melhorar suas vidas, não para reclamar das dívidas deixadas pelo governo anterior.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE