Crise econômica será maior que 5 ou 7 mil mortes, diz dono do Madero

O dono da rede de hambúrguer Madero deu uma infeliz declaração nesta segunda-feira através de um vídeo em redes sociais. Na filmagem, Junior Durski, critica medidas restritivas sobre setores econômicos no combate à crise do coronavírus. 
“O Brasil não pode parar dessa maneira. O Brasil não aguenta. Tem que ter trabalho, as pessoas têm que produzir, têm que trabalhar. O Brasil não tem essa condição de ficar parado assim. As consequências que teremos economicamente no futuro vão ser muito maiores do que as pessoas que vão morrer agora com o coronavírus”, disse o empresário paranaense. 

O empresário ainda compara o número de mortes pelo novo coronavírus a outras razões como assassinatos e desnutrição. Ele afirma que as mortes pelo vírus serão inevitáveis. 
“Não pode simplesmente os infectologistas decidirem que tem que todo mundo parar independente das consequências gravíssimas que o Brasil vai ter na sua economia”, disse Durski. 
A rede presidida por Durski tem mais de 8 mil funcionários. Ele ainda reforça que não está dando esse depoimento por ele, pois a empresa tem condições de pagar os salários de todos os seus colaboradores por até seis meses. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE